Procafé: Carrinho aplicador de herbicida em cafezal tem bom rendimento

Imprimir
O controle do mato é uma operação importante na lavoura de café, para evitar a concorrência das ervas com os cafeeiros. O sistema de controle mais utilizado, na cafeicultura brasileira, é o controle químico, com o uso de herbicidas, sendo mais empregados produtos de pós-emergência. Nessas aplicações, especialmente em áreas com cafeeiros jovens, nos 2 primeiros anos da lavoura, deve-se evitar a deriva das gotas aplicadas, pois elas podem causar toxidez sobre as plantas novas de café.

Uma das formas de evitar deriva e fitotoxidez aos cafeeiros é usar aplicação protegida, existindo diversos dispositivos no mercado para essa proteção. Um deles é o carrinho aplicador de herbicida, o qual possui, em sua parte dianteira, o acoplamento de uma aba protetora..

Foi efetuado um estudo de teste operacional, para determinar o rendimento de trabalho com o carinho aplicador. O estudo foi efetuado no ciclo 2018/19 na Fazenda experimental de Varginha-MG, em lavoura de café Acaiá com 1 ano de idade, instalada no espaçamento de 3,5 x 0,5 m. O carrinho testado foi o modelo Knapik PR20, composto por uma carriola, com roda que movimenta o embolo de um pulverizador manual de 20 l, nela acoplada, tendo em sua parte dianteira uma aba plástica, no caso tendo 70 cm de largura. O carrinho vai sendo empurrado por um trabalhador, a roda aciona a bomba e o liquido(calda) com o herbicida sai em um bico leque instalado no centro da aba protetora, está caminhando junto ao solo, assim evitando a deriva.

O teste foi em aplicação feita para controle de ervas junto às linhas de cafeeiros novos, andando dos dois lados das linhas. Foi aplicada uma área teste de 0,5 ha de lavoura, determinando-se a velocidade operacional e o tempo gasto na aplicação.

Na operação do carrinho em teste verificou-se que, conforme a situação do terreno e o maior ou menor cuidado em esbarrar nas plantas de café, a velocidade de caminhamento do trabalhador, com o carrinho, pode variar de 1,5 a 2,5 km por hora.

Na área testada, com o espaçamento de 3,5 x 0,5 m tem-se cerca de 3 mil metros de linha por há, sendo que aplicando dos dois lados tem-se um total de 6 mil metros a serem aplicados por há. O rendimento obtido no teste foi de um gasto equivalente a 3,4 hs por há, ou seja, a velocidade operacional ficou em cerca de 1,8 km/h, um pouco abaixo da média ideal de aplicação. Nesta condição, em um dia de trabalho (8hs) poderia ser obtido um rendimento de cerca de 2,4 hectares. Considerando eventuais paradas para abastecimento, manobras e descanso e, levando em conta, com mais treinamento, possíveis aumentos de velocidade operacional, concluiu-se que – com o carrinho aplicador pode-se obter um rendimento de aplicação de herbicida, na linha de cafeeiros, na base de 2-3 hectares por dia de serviço.

Fonte: Fundação Procafé (Por J.B. Matiello e Lucas Bartelega- Engs Agrs Fundação Procafé e Bruno Menegucci – Eng Agr e Daniel S. Baldim-Agronomando UNIS, estagiários Fundação Procafé) via Notícias Agrícolas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *