Principais Países Produtores de Café

África

Costa do Marfim
Este país ocupa o oitavo lugar em produção mundial e o quarto em produção de cafés robusta. Aproximadamente 95% do total da área utilizada pela cafeicultura encontra-se nas mãos de pequenos lavradores que cultivam em média de 200 a 2.000 cafeeiros.

Rwanda – Burundi
Em mais de meio milhão de pequenas propriedades, em média, com 100 cafeeiros cada uma, são cultivadas variedades do grupo Arábica. O combate à erosão é bem aprimorado. Sendo os lavradores obrigados a aplicar “cobertura morta”(palha ou mato seco espalhado – sob o cafeeiro, protegendo as raízes superficiais do excesso de sol, mantendo uma certa umidade) em seus cafezais. Ainda hoje a operação de despolpamento é em grande parte feita de maneira rústica.

Congo
Sua produção de arábicas e robustas entrou em declínio por volta de 1960, em conseqüência dos graves distúrbios políticos que ocorreram nessa ocasião.

Angola
Predominam-se as grandes propriedades agrícolas. A classificação do café é feita de maneira bem semelhante à adotada no Brasil.

Quênia
Aproximadamente 70% de sua produção provêm de fazendas médias e pequenas, que cultivam quase que exclusivamente café arábica. O café do Quênia é preparado com grande esmero e alcança no mercado internacional os mais elevados preços.

Outros Produtores
Camarões, Uganda, Madagascar, Zimbábue, etc…

América do Norte e Central

México
Sua produção teve um grande impulso a partir de 1959 e atualmente ocupa o quinto lugar na produção mundial. Cultiva variedades do grupo Arábica.

Costa Rica
O café tem papel muito importante em sua economia, pois representa 46% do total de suas exportações. Sua produção esteve em declínio por volta de 1965 quando de grandes erupções do vulcão Irazu, que lançou sobre as plantações de café grande quantidade de cinzas, voltou novamente a uma fase de ascensão. O café nessa região é tratado com grande esmero e é considerado um dos melhores do mundo.

América do Sul

Colômbia
Desempenha um papel muito importante no cenário cafeeiro mundial, pois, além de ser o segundo produtor mundial em volume, é o primeiro em produção de cafés finos. O café é cultivado em pequenas propriedades agrícolas e aproximadamente 98% de sua produção é tratada pelo processo de “Via Úmida” (despolpado). Produção média anual de 12 milhões de sacas.

Venezuela
A pesar de já ter desempenhado um papel muito importante em sua economia, o café atualmente tem pouca importância pois apenas 2% do total de suas exportações são desse produto.

Equador
Suas plantações,, localizadas a 2.300 metros de altitude, são consideradas das mais altas do mundo. Cultivam quase que exclusivamente cafés arábicas.

PeruCom a alta dos preços do café, por volta de 1950, sua cafeicultura teve uma grande expansão. A cultura do café é feita à sombra e conseqüentemente o combate à broca (Hipotenemus hampei), ali introduzida por volta de 1962, é bastante difícil e os prejuízos tem sido elevados.

Paraguai
A recente expansão de sua cafeicultura e, em especial, região de Juan Caballero, du-se graças a lavadores brasileiros que fromaram novas lavouras nessas regiões.

Antilhas

Nas Antilhas, Cuba, Haiti, Jamaica, Porto Rico, República dominicana, Trinidade e Martinica, são os principais produtores de café. Nessas regiões o café é cultivado em pequenas propriedades agrícolas e sempre em associação com outro produto. As culturas são sombreadas e predomina o cultivo de variedades arábicas.

Ásia e Oceania

A Ásia foi o primeiro continente a cultivar o café fora de seu “habitat” natural. No ex-Ceilão, Jawa e Índia a cafeicultura foi quase totalmente dizimada pela ferrugem das folhas, sendo salva com a introdução do robusta por volta do ano 1900. Na Oceania, a cultura do café é encontrada em inúmeras ilhas, porém, com certa expressão econômica no Havaí, Papua, Nova Guiné e Nova Caledônia.

Indonésia
Com uma produção de 6,4 milhões de sacas de robusta é o segundo produtor mundial e o quarto em produção total.

Vietnam
Com uma produção de 11,3 milhões de sacas transformou-se no maior produtor de robusta e terceiro em produção total.

Havaí
Sua pequena produção, apesar da maior média de produtividade do mundo, é considerada antieconômica, face às altas somas gastas com adubação química.

Iêmen
Apesar de possuir uma das mais antigas lavouras cafeeiras do mundo, o preparo do café é feito de maneira bem rudimentar.

Índia
Por volta de 1840, a ferrugem das folhas causou enormes prejuízos à lavoura, quase a dizimou, tendo-se salvo apenas as que se localizavam em regiões mais altas. Data dessa época a introdução do café robusta, que hoje ocupa perto de 40% da área utilizada pelo café. Atualmente sua produção e exportação apresentam notável acréscimo ocupando a sexta posição na produção mundial total.

PRINCIPAIS
PAÍSES EXPORTADORES DE CAFÉ
MILHÕES DE SACAS (60 Kg)
PAÍSES 1994/95 1995/96 1996/97 1997/98 1998/99 1999/00 2000/01 TOTAL MÉDIA
ANUAL
%
BRASIL 17,3 14,4 15,3 16,6 18,0 23,1 18,0 122,7 17,5 22,4
VIETNÃ 3,3 3,7 6,3 6,2 6,3 11,4 11,2 47,6 6,8 8,7
COLÔMBIA 11,7 9,8 10,7 10,8 10,3 9,1 10,3 72,7 10,4 13,3
MÉXICO 3,0 4,3 4,5 4,4 4,6 5,0 5,3 31,1 4,4 5,7
INDONÉSIA 4,4 3,8 5,8 5,7 5,5 5,1 5,2 35,5 5,1 6,5
COSTA
DO MARFIM
3,7 2,9 5,3 4,0 4,0 5,3 4,5 29,7 4,2 5,4
ÍNDIA 2,3 2,8 2,6 2,9 2,6 4,2 4,4 21,8 3,1 4,0
GUATEMALA 3,2 3,5 3,9 3,2 2,8 4,6 4,4 25,6 3,7 4,7
UGANDA 3,0 4,1 4,3 3,2 3,7 2,9 3,0 24,2 3,5 4,4
PERU 1,3 1,4 1,6 1,6 1,8 2,4 2,4 12,5 1,8 2,3
COSTA
RICA
2,3 2,4 2,1 2,2 2,1 2,4 2,3 15,8 2,3 2,9
HONDURAS 2,1 2,0 2,0 2,6 2,3 2,8 2,2 16,0 2,3 2,9
ETIÓPIA 2,3 2,3 2,6 1,9 2,1 1,8 2,0 15,0 2,1 2,7
EL
SALVADOR
2,1 2,1 2,3 1,8 1,7 2,5 2,0 14,5 2,1 2,7
SUBTOTAL 62,0 59,5 68,5 67,1 67,8 82,6 77,2 484,7 69,2 88,5
DEMAIS
PAÍSES
8,3 7,3 11,4 7,1 11,6 8,5 8,6 62,8 9,0 11,4
TOTAL 70,3 66,8 79,9 74,2 79,4 91,1 85,8 547,5 78,2 100,0
FONTE:OIC/USDA

One thought on “Principais Países Produtores de Café

  • 28/06/2018 at 3:28 am
    Permalink

    sou nascido no estado de são paulo, no ano de 1940, ainda bebê meus pais se mudaram pro estado do paraná,onde procedia a derrubada das florestas, a fim de cultivar cafeeiros e outras lavouras, mas em 1965/66 houve a chamada geada preta que praticamente dizimou toda o cultivo de cafeeiro naquele estado. Naquela epuca, 70% da população do paraná morava e vivia do cultivo e colheita do café, enfrentaram grandes mudanças e muitas dificuldades sendo obrigados a se mudar para as periferias das cidades ou se mudar para outros estados tal como matogrosso, minas gerais e outros. É isso.

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *