Previsão para o outono deve favorecer colheita do café no Sudeste, informa Epamig

Imprimir
O outono já começou no Brasil e a perspectiva da Epamig (Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais) é de que a estação favoreça a colheita do café, que começa já nos próximos meses nas principais origens produtoras do país. São esperados menores volumes de chuva e temperaturas amenas no estado.

Como tradicionalmente costuma acontecer, o outono será marcado pela redução das chuvas, que até então estavam mais presentes no verão nas regiões Centro-Oeste e Sudeste. As primeiras frentes frias também chegam com mais intensidade ao Sudeste, principalmente a partir do final de abril.

“Na região Sudeste, apenas para algumas partes do estado de Minas Gerais e para o nordeste de Goiás é esperado que as chuvas ocorram dentro ou pouco acima da média do mês”, explicam em informativo Williams Ferreira e Marcelo Ribeiro, pesquisadores da Epamig, respectivamente, nas áreas de agrometeorologia e fitotecnia. Já as temperaturas durante o mês devem ficar abaixo da média no estado.

Em Minas Gerais, maior produtor de café arábica do Brasil, as chuvas dentro ou acima da média podem ocorrer, especificamente, no Vale do Mucuri, extremo sul do Vale do Jequitinhonha, região metropolitana de Belo Horizonte e região central mineira e na região de Viçosa e Ponte Nova na Zona da Mata mineira.

A colheita do café já começa a ocorrer em algumas regiões produtoras de Minas no final de abril, mas ganha força mesmo no mês de maio.

“Neste mês é esperado que ocorram chuvas abaixo da média na região Norte Amazonense, no extremo Sul do Pará e nos estados do Ceará e do Rio Grande do Norte. Destaca-se, porém, que a probabilidade de redução no volume de chuvas para as áreas citadas é menor no mês de maio quando comparada àquela do mês de abril”, informa a Epamig.

Apesar da expectativa de boas condições climáticas ao longo do outono, favorecendo a colheita do café, a Epamig alerta os produtores para a possibilidade de doenças. As chuvas foram volumas ao longo do mês de março em quase todo o estado, com acumulados entre 1º e 20 de março, que variaram em média entre 25 mm e 300 mm, superando a média histórica na área Central, faixa Leste e no extremo Norte do Estado.

“Considerando que o verão, que acabou de encerrar, foi bem chuvoso, o desenvolvimento de doenças fúngicas foi favorecido pelo ambiente com maior conteúdo de umidade. Deste modo, torna-se necessário que os cafeicultores intensifiquem o monitoramento das lavouras de modo a acompanhar mais atentamente o possível desenvolvimento de infecções causadas por ferrugem, cercosporiose e phoma e, em caso positivo com relação a presença de qualquer uma delas, iniciar o mais breve possível o controle pelos meios usuais”, finaliza.

Precipitação mensal acumulada de 01 a 20/03/2018 (a) e percentual representativo em relação à climatologia mensal para o mês de março (b). Fonte: SEÇÃO DE ANÁLISE E PREVISÃO DO TEMPO (SEPRE – 5º DISME) BELO HORIZONTE

Precipitação mensal acumulada de 01 a 20/03/2018 (a) e percentual representativo em relação à climatologia mensal para o mês de março (b). Fonte: SEÇÃO DE ANÁLISE E PREVISÃO DO TEMPO (SEPRE – 5º DISME) BELO HORIZONTE

 

» Veja o boletim da Epamig na íntegra

Fonte: Notícias Agrícolas (Por Jhonatas Simião)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *