Presidente da Conab diz que 80 armazéns serão modernizados

Imprimir

Em Mato Grosso, dos cinco armazéns, somente um funciona com a capacidade total. (Foto: Divulgação/Canal Rural) 

O presidente da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Rubens Rodrigues dos Santos, afirmou em entrevista ao Rural Notícias desta terça, dia 22, que 80 dos 94 armazéns da companhia serão modernizados e os 14 restantes serão alienados.Desde o início de julho o Canal Rural vem mostrando a situação da estrutura da estatal, que acumula problemas desde armazéns fechados até unidades abandonadas, ocupadas por famílias pobres.

Rubens dos Santos reconheceu os problemas sérios de infraestrutura da Companhia disse que, desde que assumiu a presidência em 2012, vem trabalhando para resolver os problemas.

– A rede armazenadora foi construída na década de 60 e 70 e, durante estes anos, não foi revitalizada, não recebeu grandes investimentos.

Segundo ele, o primeiro grande investimento na estrutura apareceu no ano passado, quando o Plano Nacional de Armazenagem destinou R$ 500 milhões para a rede pública de armazenagem. Destes, ele diz que R$ 350 milhões são destinados para a construção de novos armazéns, e os R$ 150 milhões restantes são para modernizar a rede existente.

– Para algumas unidades é inviável a modernização e utilização. Para estas, o ministro da Agricultura [Neri Geller] determinou que se tomasse uma providência. Se construiu um grupo de trabalho para que a Conab possa alienar estes bens – diz Santos, acrescentando que a alienação precisa ser aprovada pelo Conselho de Administração da Conab. Ele também afirma que, nos últimos dois anos 10 imóveis da Conab foram alienados, o que gerou uma entrada de quase R$ 80 milhões para os cofres da companhia.

O presidente da Companhia diz que os investimentos estão previstos para acontecer até meados de 2015. Além disso, Santos diz que o grupo de trabalho ordenado pelo ministro Neri Geller têm a tarefa de verificar quais unidades podem ser cedidas para a iniciativa privada, cooperativas ou associações, seja em forma de comodato ou outras formas jurídicas.

– Esta solução depende de cada unidade. Aquelas para as quais ainda existe demanda, que estão na fronteira agrícola, havendo interesse vamos analisar a possibilidade de comodato ou repasse. Vamos procurar uma solução para os armazéns desativados – garante.

Sobre as unidades de Mato Grosso apontadas pela reportagem do Rural Notícias, Rubens dos Santos diz que aquelas que não receberam grãos nesta safra foram fechadas estão justamente para poder receber os investimentos de modernização planejados pela Conab.

Novos armazéns

O presidente da Conab garantiu que a estatal tem planos de construir novos armazéns nas regiões produtoras de grãos, mas espera que a inciativa privada também faça investimentos com a nova linha de crédito criada pelo governo federal no ano passado.

– É uma utopia nós acreditarmos que a Conab vai dar conta de armazenar toda a produção agrícola, cada vez mais crescente, do Brasil.

A linha de crédito para armazenagem lançada em 2013 tem R$ 5 bilhões disponíveis, com juros de 3,5% ao ano e 15 anos para pagar. Até abril deste ano, cerca de R$ 3 bilhões já haviam sido tomados pela iniciativa privada.

 

 

Fonte: Rural BR via Rede Social do Café

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *