Preços do café devem reagir depois de dois anos de baixa, diz banco Barclays

Imprimir
Os analistas do banco Barclays estão prevendo um aumento nos preços do café arábica, com previsão de uma fraca safra brasileira no próximo ano, onde os analistas do banco acreditam que foi muito “absurdas” as idéias de uma forte safra brasileira .

O Barclays, que tinha previsto fraqueza em Nova York nos contratos futuros de café arabica e que no mês passado os preços ficaram abaixo de 140 centavos de dólar por libra pela primeira vez desde 2010 , disse que “há potencial para uma recuperação nos preços”.

O banco prevê uma colheita de café ligeiramente inferior no mundo em 2012-13, em torno 144 milhões de sacas, um aumento de 6,4%, em vez do aumento de 8,4% a 146 milhões de sacas esperadas pela Organização Internacional do Café.

O banco estima-se que na colheita da Colômbia foi de 8.8 milhões, contra 7.7 milhões em 2011-12, será bem mais abaixo da média de 11 milhões de sacas.

No entanto, também sinalizam como um suporte para os contratos futuros de café arábica , um potencial de cobertura de posição de compras por fundos de hedge, que se acumularam historicamente numa grande posição líquida vendida no mercado futuro de Nova York e de opções, indexada pelos reguladores em 26.137 lotes em 18 de dezembro .

Os dados “mostram que uma grande posição especulativa de curto prazo se construiu, a mais baixa desde novembro de 2003, e deixou o mercado vulnerável a um rally de curto prazo “.

Além disso, o Barclays prevê uma queda na produção brasileira em 2013, um ano “off” no ciclo do país de um declínio relativamente pequeno, de 5,9% . “Esperamos que a colheta 2013-14 do Brasil irá experimentar uma pequena recessão dos anos anteriores , com o tempo tem sido favorável para a floração das árvores de café “, disse analista do Barclays Kate Tang. “Esperamos que os preços do café devem se apoiar por uma safra off no Brasil.”

Os comentários foram feitos em meio a uma disputa sobre as perspectivas para a colheita de café no Brasil em 2013, que levou a um debate sobre os dados da indústria de café, e do potencial de manipulação do mercado. O Conselho Nacional do Café (CNC ) disseram como “absurdas” as idéias de um aumento da produção em 2013 como flutuou por comentaristas como exportador Terra Forte, que tem atrelada a colheita em sacos de 53,4 milhões, graças a as boas condições de floração.

O orgão oficial do governo brasileiro a Conab , tem atrelado a safra deste ano em 50,8 milhões de saas. O CNC disse que esta trabalhando com o governo sobre a promoção de opções como uma ferramenta para a venda do produtor, um movimento que iria oferecer “menos espaço para a especulação”.

Fonte: Agnocafé via Rede Social do Café

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *