Preço do robusta sobe pelo terceiro mês e ultrapassa R$ 390 em junho

Imprimir
Em junho, os preços internos do café robusta subiram com força pelo terceiro mês consecutivo, voltando a superar os R$ 390,00/saca da 60 kg. Apesar de a colheita estar na reta final, poucos lotes foram disponibilizados para negociação. Além disso, o rendimento esteve pouco satisfatório, limitando ainda mais a oferta da variedade.

O Indicador do robusta tipo 6 peneira 13 acima teve média de R$ 391,4/sc de 60 kg em junho, 1,21% superior à de maio. O tipo 7/8 bica corrida foi de R$ 381,59/sc, alta de 1,27% na mesma comparação – ambos a retirar no Espírito Santo.

No mercado internacional, o contrato de robusta negociado na Bolsa de Londres (Euronext Liffe) com vencimento em setembro fechou a US$ 1.727/tonelada em 30 de junho, aumento de 4,98% na comparação com 31 de maio.

Clima seco favorece colheita do robusta
Até a última semana de junho, agentes consultados pelo Cepea indicavam que a colheita de café robusta da safra 2016/17 se aproximava dos 90% no Espírito Santo, mesmo percentual da safra passada. A expectativa é que as atividades sejam finalizadas em meados de julho.

O avanço na colheita foi favorecido pelo clima seco desde dezembro no Estado. Por outro lado, a falta de chuva reduziu a produção e prejudicou a qualidade dos grãos. Agentes relataram que, para os primeiros lotes de entregas futuras, compradores renegociaram contratos aceitando até mesmo receber cafés de qualidade inferior.

Em Rondônia, a colheita foi concluída no final de junho e, assim como no Espírito Santo, a qualidade do grão colhido foi baixa. Agentes consultados apontam também para um volume reduzido frente aos anos anteriores.

Para a próxima temporada, o estado dos pés de cafés preocupa, devido justamente à falta de chuva em grande volume há quase seis meses. Assim, muitos cafeicultores acabaram arrancando os pés ou abandonando as lavouras. Para agravar, a previsão é que o volume de chuva seja baixo no segundo semestre.

Dados divulgados no dia 18 de junho pelo o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), apontaram que o Brasil deve produzir 12,1 milhões de sacas na temporada 2016/17, mas, para agentes consultados pelo Cepea, os números da Conab (Companhia Nacional do Abastecimento) estão mais próximos da realidade. Segundo a entidade, a safra de robusta deve totalizar aproximadamente 9,4 milhões de sacas. Essa menor produção, inclusive, já vem limitando as exportações da variedade no Brasil, para volumes bem inferiores aos da safra anterior.

Fonte: Cepea/Esalq USP via CNC

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *