Preço do café recua para menores valores em 14 anos

Imprimir
O Conselho Nacional do Café (CNC) destacou em balanço semana, que os contratos futuros do grão na última semana foram marcados por queda significativa nos mercados internacionais, recuando para os menores valores em 14 anos. A baixa foi estimulada pela percepção de agentes de que há melhoras na perspectiva para a safra 2020 do Brasil, com o clima, até o momento, não impactando os cafezais.

De acordo com esses agentes, indica o CNC, as precipitações ocorridas nas últimas semanas no cinturão cafeeiro do país induziram a abertura de floradas, o que, conforme especulam, pode ser benéfico para o desenvolvimento de uma boa colheita.

Por outro lado, o presidente do Conselho Nacional do Café (CNC), Silas Brasileiro, alerta que é muito cedo para quaisquer prognósticos a respeito da safra 2020. “É necessário o acompanhamento do clima muito de perto, pois essas floradas que abriram precisam de chuvas contínuas para o pegamento e o futuro vingamento em chumbinhos”, explica.

O tempo, porém, deve voltar a ficar firme em todo o Sudeste a partir deste fim de semana devido à atuação de uma massa de ar seco que inibe a formação de nuvens carregadas, coloca o CNC. Segundo a Somar Meteorologia, a previsão é que a temperatura permaneça em ascensão na principal região cafeeira do Brasil, com possibilidade de leve chuva apenas na faixa litorânea do Espírito Santo.

O dólar comercial também impactou o desempenho das commodities. Na segunda-feira, 7, a divisa registrou sua maior variação diária desde 19 de setembro, influenciada por denúncia que poderia agregar detalhes ao processo de impeachment do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump. Também favoreceram o movimento do dólar durante a semana passada as tensões comerciais entre os norte-americanos e a China.

Fonte: Canal Rural (Com foto de Fernando Barbosa)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *