Porto de Antuérpia quer estimular embarques brasileiros de café

Imprimir

O Porto de Antuérpia, na Bélgica, pretende estimular as exportações brasileiras de café. O diretor-comercial do complexo portuário belga, Luc Arnouts, fez uma visita à Associação Comercial de Santos (ACS) para expor os benefícios de enviar produtos – em especial café – para a Europa via Antuérpia.

Arnouts afirmou que a Bélgica é um importante ponto de entrada de café verde para a Europa: 35% vão para a Alemanha, 15% para a Itália, 10% para o mercado belga, 8% para a França e 4% para o Reino Unido. Os cinco maiores mercados exportadores são: Brasil com 28%, Vietnã com 17%, Honduras com 10%, Peru com 7% e Uganda com 7%.

O diretor-comercial do Porto de Antuérpia enfatizou que o sucesso do complexo portuário é devido a quatro fatores-chave: acreditação, conectividade, operadores portuários e valor agregado.

O porto tem 5,5 milhões de metros quadrados de área coberta para estocagem de carga. Do total, 750 mil metros quadrados são dedicados ao café e ao cacau, além de dispor de mais 250 mil metros quadrados para tal finalidade.

Segundo Arnouts, Antuérpia tem a aprovação da ICE, de Nova York, para o café arábica, e da Nyse Liffe, de Londres, para o robusta. Com o aval desses dois organismos internacionais, conquistado em 2001, o porto belga passou a receber muito mais grãos de café verde dos países exportadores.

Quanto à conectividade, Arnouts citou as linhas marítimas que servem Antuérpia, com serviços diretos para mais de 500 portos de todo o mundo, dos quais 300 são atendidos semanalmente.

Ainda no que diz respeito a este ponto, geograficamente o porto belga está situado no centro da Europa. Além disso, 60% dos mercados consumidores europeus estão a um raio de 500 quilômetros. Os parceiros na operação portuária são outro fator do sucesso de Antuérpia. Arnouts citou a C. Steinweg, a CWT, a Katoen Natie, a Durme-Natie, a Molenbergnatie, a Pacorini e a Vollers.

O outro elemento do sucesso de Antuérpia é a criação de valor agregado por intermédio da cadeia de suprimentos, com uma série de serviços portuários e marítimos.

Exportação

As exportações de café verde do Brasil devem totalizar 26,9 milhões de sacas de 60 quilos em 2013, um aumento de quase 8% ante o ano passado, disse o presidente do Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé), Guilherme Braga, em entrevista à Dow Jones.

A alta deve compensar a esperada queda de produção na América Central e no México, cujas lavouras de café sofrem com um surto do fungo roya, causador da ferrugem.

Fonte: DCI

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *