Por meio da poesia, cafeicultora valoriza a agricultura e o trabalho da mulher rural

Imprimir
“A vida é uma semente, que precisa ser plantada. Nas mãos do agricultor, ela será germinada”. Este é um dos versos escritos pela agricultora orgânica Maria Regina Mendes Nogueira, 47 anos, de Poço Fundo, Minas Gerais. No campo e na poesia, a produtora de café expressa sua visão sobre a importância da agricultura e do trabalho da mulher que vive no meio rural.

Mais conhecida como Regina, ela é uma das integrantes do Grupo Mulheres Organizadas em Busca de Igualdade (MOBI), um coletivo da Cooperativa dos Agricultores Familiares de Poço Fundo e Região (COOPFAM) que atua em prol do protagonismo e visibilidade do trabalho da mulher na agricultura.

O grupo também articula ações para garantir o direito de participação das mulheres nos processos de tomada de decisões da Cooperativa. Ao começar a participar do Grupo MOBI, Regina logo foi convidada para ser coordenadora. O apoio, a confiança e o processo coletivo de tomada de decisões do grupo fizeram toda a diferença para que Regina dissesse sim ao desafio.

A cafeicultora tem consciência da importância que a união das mulheres tem no processo de construção dos saberes e de como esta articulação contribui no processo da autonomia, do individual ao coletivo. “Quando somente seu esposo era cooperado, ela ia à cooperativa e nem do carro descia. Começar a participar do Grupo MOBI trouxe autoestima e valorização do seu potencial”, comenta Mariana Martins, uma das colaboradoras do grupo.

Conhecimento e transformação

Foi no cotidiano do Grupo MOBI que Regina se empoderou junto a outras mulheres que estão passando pelo ciclo de valorização de seus saberes. No grupo, elas sempre compartilham conhecimento sobre a produção de café e descobrem seu potencial para transformarem suas vidas e, consequentemente, as de suas famílias.

“Para mim, a importância do saber da agricultura no meu viver é uma coisa que me fortalece. Eu me sinto bem cuidando da terra, plantando, colhendo. E, para isso, a gente tem que buscar conhecimento, porque, sem conhecimento, a gente não consegue alcançar um bom êxito”, disse Regina.

Ao começar a participar do Grupo MOBI, a experiência de Regina como cafeicultora foi potencializada pela atuação no coletivo com a produção do Café Orgânico Feminino. Todas as ações e atividades que Regina participa com o Grupo MOBI visam principalmente a valorização dos saberes locais e as trocas de experiências e conhecimentos. Muitos são os dias de campo, dias de produção de sabão, caminhadas agroecológicas e circuitos sul mineiros de agroecologia que Regina participa junto as outras mulheres.

“São espaços de formação, de aprendizagem e de afetos que as mulheres vivenciam e levam para suas casas, para os seus cotidianos como mulheres rurais todos os saberes vivenciados e adquiridos”, avaliou Mariana.

Os melhores dias para multiplicação dos saberes são os dias de trocas de experiências, como os que acontecem no projeto lançado neste ano de 2019 pela COOPFAM, a Certificação Participativa do Café Feminino. Dias como este, as mulheres visitam umas às outras para trocas experiências e conhecerem um pouco mais da rotina das companheiras na produção de café.

trabalhadora rural cafeicultora 01 (1200 x 675)

Guardiã

Além de agricultora e poetisa, Regina se considera uma guardiã das sementes. Em sua propriedade, ela guarda semente de abóbora, que aprendeu a tirar com sua mãe; de milho crioulo, que é bom para fazer pamonha.

A produtora também é amante de rosas. E sua paixão foi incentivada por meio de um projeto realizado pelo MOBI em parceria com o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Sul de Minas para construção de estufas de produção de rosas orgânicas. No projeto, Regina aprimorou seus conhecimentos e hoje foca na produção de licor de rosas orgânicas e de versos sobre o universo da agricultura e da mulher do campo.

Confira abaixo dois poemas escritos pela agricultora:

A importância das sementes

A vida é uma semente, que precisa ser plantada.
Nas mãos do agricultor,
Ela será germinada.

Precisamos nos atentar,
Na importância das sementes.
Pra que se mantenha viva,
Nossa luta é permanente.

Índios, assentados, quilombolas e agricultura familiar,
Tem papel importante, as sementes preservar.
Pras futuras gerações melhor se alimentarem.

A agroecologia contribui para um futuro, cuidando da mãe terra,
Produzindo alimento seguro.

Tudo isso precisamos fazer,
E dar o nosso exemplo.
Pra que a importância das sementes, não caia no esquecimento.

Mulher

A mulher é um ser iluminado
Que com todo cuidado tenta tudo resolver
Seja os problemas do mundo ou até os mais profundos
Do seu íntimo ser.

A mulher é um ser forte
Luta até a morte
Para os direitos valer
Dos negros, à igualdade,
Dos assentados, à terra
Ou o direito de nascer.

A mulher é um ser especial
É bela, maquiada ou natural
É delicada, criativa e tem talento.
Faz em casa o orçamento,
Marca presença no parlamento,
Ocupa os espaços para tudo transformar.

A mulher brasileira é forte e guerreira
Ao longo dos anos, tarefas acumulou.
Venceu muitas batalhas, sua vida melhorou.

A mulher merece respeito
Seja ele em seu leito
Ou no seu local de trabalho.
Não sendo usada como objeto
E tendo um digno salário.

Parabéns a todas as mulheres

Maria Regina Mendes Nogueira, 47 anos, agricultora orgânica.

Campanha 2019

De 1º a 15 de outubro, a Campanha #Mulheres Rurais, Mulheres com Direitos promove 15 dias de mobilização para valorizar a contribuição das trabalhadoras do campo ao cumprimento dos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável relacionadas à igualdade de gênero e ao fim da pobreza rural. O tema norteador da quinzena ativista é “O futuro é junto com as mulheres rurais”, com a hashtag #JuntoComAsMulheresRurais.

O principal objetivo da campanha é destacar o trabalho promovido por pescadoras, agricultoras, extrativistas, indígenas e afrodescendentes. A campanha no Brasil é coordenada pela Secretaria de Agricultura Familiar e Cooperativismo do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA), em parceria com a FAO, a ONU Mulheres, a Reunião Especializada sobre Agricultura Familiar do Mercosul (Reaf) e a Direção-Geral do Desenvolvimento Rural do Ministério da Pecuária, Agricultura e Pesca do Uruguai.

Fonte: Ascom Mapa (Com colaboração de Mariana Martins e Maria Regina Mendes Nogueira)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *