Polícia Civil faz alerta sobre possíveis roubos durante a safra de café em Franca (SP)

Imprimir

O delegado de Franca (SP) Márcio Murari afirma que alguns dos roubos de sacas de café são realizados com a ajuda de funcionários que trabalham ou trabalharam na própria propriedade que vira alvo das quadrilhas. O alerta foi feito por ele para os produtores que começam a fazer o transporte dos grãos colhidos durante o fim deste primeiro semestre.

Este ano, 2017, é o ano da chamada safra baixa. Segundo a primeira estimativa divulgada pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), este ano a safra brasileira deve render de 43 a 47 milhões de sacas de 60 quilos. Em outras palavras, a safra deverá render até 15% a menos do que em 2016, quando o país colheu mais de 51 milhões de sacas.

Criminosos se reúnem para roubar sacas de café durante o período da safra em Franca (Foto: Reprodução / EPTV)

Apesar disso, o chefe da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Franca alerta para os altos valores do café, que atrai a atenção de criminosos sempre na mesma época do ano.

“O café é um produto que é considerado de alto valor de comércio e isso atrai, certamente, pessoas que tentam praticar esse crime para tentar depois vender esse café em nossa região ou outras praças”, diz Murari.

Ele afirma que não existem quadrilhas especializadas em cometer este tipo de roubo, mas destaca que criminosos que cometem crimes menores se reúnem durante o fim do primeiro semestre visando as produtoras de café e as cargas altamente valiosas.

“A gente percebe que há furtos aí de cinco a dez sacas do café ainda em casca, muitas vezes ligadas a pessoas que já trabalharam inclusive na propriedade, que têm conhecimento de onde esse café está e normalmente num período noturno eles acabam retornando e praticando esses furtos”, explica.

Carga de café possui valor alto e atrai a atenção de criminosos em Franca (Foto: Reprodução / EPTV)

Para evitar os roubos, as empresas investem na compra de sistemas de segurança e adotam medidas para tentar despistar assaltantes, como mudar o armazém das sacas de última hora. Apesar disso, Murari diz que o transporte das sacas deve ser feito com planejamento antecipado.

“Tentem fazer sempre tudo durante o dia, se possível acompanhado de mais uma pessoa. Importante se utilizar de veículos que tenham rastreador porque isso facilita a ação da polícia em caso se ele venha a ser roubado observar quem se contrata para prestar um serviço na sua propriedade”, conta.

Murari finaliza dizendo que a Polícia Militar realiza ações preventivas e que a Polícia Civil fica a cargo de investigar eventuais roubos de sacas. Em agosto de 2016, a polícia identificou parte de um grupo que efetuou um roubo em Franca e conseguiu recuperar parte da carga. Apesar disso, nenhuma pessoa foi presa na ocasião.

Fonte: EPTV Ribeirão e G1 Ribeirão e Franca

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *