Podas e Desbrotas

As podas são efetuadas para atender às seguintes situações:

1.Eliminar o problema de fechamento dos cafeeiros.

2.Aumentar a área de ramos produtivos em plantas debilitadas.

3.Acelerar e facilitar a recuperação de plantas atingidas por granizo, geada ou faíscas.

4.Renovação da estrutura proporcionando seu equilíbrio com o sistema radicular.

5.Eliminar o excesso de hastes.

6.Reduzir a altura das plantas.

7.Melhorar o ambiente (arejamento, insolação).

A poda deve ser realizada sempre após uma safra alta ou na perspectiva de uma safra baixa no próximo ano. O período ideal para a realização é entre o término da colheita e o início das chuvas. Em regiões propensas a geada efetuar somente após o período de ocorrência desta.

Tipos de poda:

1.Recepa – poda baixa, drástica, indicada para plantas que perderam seus ramos produtivos, pois promove a renovação quase total da copa do cafeeiro.

2.Decote – poda alta, elimina a parte superior da copa, indicada para lavouras prestes a ter problemas de fechamento.

3.Esqueletamento e desponte – podas aplicadas aos ramos laterais cortados próximo ao tronco sendo a diferença entre os dois processos o comprimento do ramo mantido, esqueletamento (20 cm) e desponte (30 a 60 cm).

4.Limpeza – é a eliminação das partes secas, galhos ou ramos, sendo desnecessária pois essas partes apodrecem e caem naturalmente.

5.Desbrotas – deve ser praticada anualmente após a colheita visando manter o número adequado de ramos.

As lavouras podadas devem ser cuidadas de forma especial, principalmente no que se refere à exigência de micronutrientes e cuidados fitossanitários. No caso de poda drástica deve-se observar a necessidade de quebra-ventos temporários ou a manutenção de linhas do cafezal sem podar para exercer essa função.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *