Plano de orientação para contratação de safristas migrantes durante a colheita de café é desenvolvido em Piumhi (MG)

Imprimir
Um plano de orientação foi desenvolvido com medidas para contratação de safristas de outras cidades que vão trabalhar na colheita de café neste ano em Piumhi. O Plano de Orientação aos Contratantes de Safristas Migrantes na Safra de 2020 tem o objetivo de orientar sobre as medidas que devem ser adotadas devido à pandemia de coronavírus.

Segundo dados da Secretaria de Agricultura do município, baseados nos números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), cerca de 230 pessoas de outras cidades passam por Piumhi no período da colheita da safra do café que começa em maio e segue até o início de outubro.

O plano orienta, além da adoção de medidas, a organização e o preparo dos trabalhadores para a colheita, desde a identificação e a triagem dos safristas. Os empregadores são orientados em relação ao transporte, refeitório, alojamento, entre outras condições para os trabalhadores rurais.

“Existe uma expectativa grande de chegar muitos migrantes de café que devem povoar as fazendas neste período. Pensando neste pessoal que vai chegar de cidades diferentes da nossa região, fizemos este plano que visa a triagem de cada um deles nas regiões deles e pensando que cada administrador de fazenda possa também disponibilizar os dados completos”, afirmou o secretário de Agropecuária, Abastecimento e Meio Ambiente, Martiniano Fagundes do Nascimento.

Os empregadores devem preencher uma ficha com o nome completo e documentos pessoais dos trabalhadores migrantes para que o Programa Saúde da Família (PSF) possa realizar o cadastramento e atendê-los sempre que necessário.

“É uma preocupação que temos neste momento de pandemia para evitar que eles venham com a doença e também preveni-los de contrair algo no município. No plano geral, eles virão triados da região, e vão passar por triagem e quarentena no município. Tudo acompanhado pela Secretaria da Saúde que tem uma equipe preparada para acompanhar o safrista neste período”, explicou.

O plano ressalta ainda a importância de não contratar os trabalhadores inseridos no grupo de risco. A secretária de Saúde, Aline Barbosa, salientou que este plano foi desenvolvido e considera fundamental que ele seja seguido.

“Devido ao aumento da população flutuante e em virtude de combater a Covid-19, todas as orientações devem ser seguidas. A nossa equipe de PSF Rural e de Vigilância em Saúde estará à disposição para orientar e esclarecer aqueles que ainda tiverem alguma dúvida sobre como proceder”, disse.

Segundo a Prefeitura, os agentes de saúde vão percorrer as fazendas orientando, entregando a documentação e recebendo o termo de compromisso assinado pelos contratantes. Além destas visitas, o plano estará disponível no PSF Rural, na Rua Antônio Rui Almada, 115, no Bairro Elisa Leonel, e na Secretaria de Saúde, na Praça da Matriz.

A Secretaria Municipal de Agropecuária, Abastecimento e Meio Ambiente do município realizará a divulgação com os grupos e associações do ramo da atividade.

“Importante salientar que estamos fazendo este documento de forma que outros parceiros, como a Emater, o Sindicato Rural local que tem ajudado a divulgar a ação da Prefeitura para que todas as fazendas tenham acesso. Uma vez que nossa cidade tem os grãos de café como a maior economia. O café é a principal fonte de renda da cidade, e com isso, temos a expectativa da chegada de safristas assim como nos anos anteriores”, concluiu.

Fonte: G1 Centro-Oeste de Minas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *