Piumhi apresenta índice variável para a safra de café de 2014

Imprimir

Na última semana, o Sindicato dos Produtores Rurais de Piumhi (SRP) promoveu um encontro para tratar do monitoramento e acompanhamento da safra 2014 da cafeicultura no município de Piumhi.

A reunião contou com a presença do chefe da agência do IBGE em Piumhi Otamir de Andrade, que fez a abertura, além da técnica de operações e representante da Cooperativa Nacional de Abastecimento, Telma Ferreira e Silva, gerentes de agências bancárias, representantes de cooperativas e outras instituições.

Otamir fez uma breve explanação sobre os dados da previsão de café divulgados pela mídia em geral que estão dando polêmica, além dos dados divulgados anteriormente da safra para 2013/2014 realizados em dezembro do ano passado e somente consolidado no mês de janeiro de 2014, onde foi feita a 1ª previsão inicial para a próxima safra.

“A questão é que não se estimava que o período de estiagem seria tão escaldante, afetando tanto a cultura do café nas suas fases de frutificação, maturação e crescimento dos grãos neste período”, frisou.

A técnica em operações concordou, alegando que o clima tem prejudicado a cultura do café devido a estiagem e outros fatores ocasionados pelo calor intenso. Sendo assim, somente em algumas regiões a produção será suficiente. “A quantidade de perda de grãos do café é assustadora, mas não podemos nos pautar neles para aferir a safra, temos que ter muita cautela, pois o impacto de uma informação equivocada pode ser danoso tanto para um lado quanto para o outro da cadeia de produção.”

Portanto, segundo ela, ainda é cedo para dimensionar como será a safra de 2014, tendo em vista que a colheita está em sua fase inicial na região.

Os técnicos Luís Fernando Lopes, Geraldo Ricci, Marco Túlio, Jonathas e o diretor da Emater Eli Mattioli, que também estavam presentes, adiantaram que é praticamente impossível realizar uma previsão de rendimento para a próxima safra, tendo em vista que os valores podem ser muito variáveis de uma fazenda para outra.

Segundo o “teste de bóia” realizado por alguns deles em propriedades rurais, serão necessários valores acima de 700 litros de café para que se obtenha uma saca de 60 kg em grãos, um valor alto em relação à safra anterior, na qual era utilizada uma média de 500 a 600 litros para uma saca de 60 kg.

Ainda conforme informações dos técnicos, nestes testes têm-se obtido um resultado com altos valores de perda, entre os defeitos citados nos cafés que boiam ou encontram-se grãos chochos, mal formados, com coração negro, entre outros defeitos danosos para o rendimento e a qualidade do café obtido.

Ao final da reunião, os presentes chegaram a um consenso para previsão inicial de rendimento da safra de café de 2014, definindo-se inicialmente uma quebra de 23% de rendimento em relação à previsão inicial de rendimento realizada em dezembro de 2013, caindo então de 26 sacas/hectare para 20 sacas/hectare para a região de Piumhi.

“Esse rendimento é uma expectativa inicial, que pode ser alterada para mais ou para menos à medida que for avançando a colheita. Sendo assim, só teremos certeza da real produção e rendimento da safra 2014 em novembro desse ano, quando encerra-se a safra e realiza-se o fechamento. Até lá, podemos contar apenas com as previsões e expectativas”.

Fonte: Clic Folha (Folha da Manhã – Passos)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *