Pesquisas aumentam em 300% a produção e melhoram a qualidade do café conilon

Imprimir

A busca pela produtividade, acompanhada pela qualidade, é o principal objetivo de produtores numa lavoura de café conilon. Na cafeicultura, pesquisa, tecnologia, conhecimentos e muitas mudanças promoveram avanços, saltos que nos últimos 20 anos levaram a média estadual anual de 9 sacas/ha para 35 sacas/ha, com produtores alcançando 120 sacas/ha e a produção de 2,4 para quase 10,0 milhões de sacas. Outra grande evolução deu-se nas tecnologias de pós colheita, utilização e preparo da bebida, que contribuíram muito para melhoria da qualidade do conilon.

Tantas mudanças que culminam no uso do protocolos de boas práticas de produção, como o 4C. Estes cenários, conquistas e evolução serão melhor conhecidos na prática, na xícara, cuja os resultados serão apresentados no 3º Prêmio Conilon Especial – Concurso Estadual Conilon de Qualidade. As inscrições estarão abertas, até 26/08/2014. O concurso premiará os melhores cafés do Estado nas categorias natural e cereja descascado. As amostras poderão ser entregues nos escritórios municipais do Incaper e agências Coopeavi.

Um processo de quase 30 anos
No Espírito Santo as evoluções na cultura cafeeira deu-se graças aos esforços de diversos agentes. Foram as empresas, cooperativas, prefeituras municipais, instituições de ensino produtores que de forma unida e compartilhadas, transferiram resultados das pesquisas nas diferentes áreas do conhecimentos, desenvolvidos pelo Instituto Capixaba de Pesquisa, Assistência e Extensão Rural (Incaper).

A autarquia do Governo, vinculada à Secretaria de Agricultura, Abastecimento, Aquicultura e Pesca (Seag) desenvolveu nove variedades clonais e propagadas por sementes superiores. Estas têm sido a base de renovação de 50% parque cafeeiro de conilon do Estado (150 mil hectares), que ocorre numa faixa de 7% a 8% ao ano.

Essas tecnologias associadas a outras, como espaçamento, plantio em linha, calagem e adubação, poda, manejo de pragas e doenças, conservação de solo, irrigação promoveram uma revolução tecnológica na cafeicultura do conilon, quadruplicando de forma sustentável em duas décadas a produção capixaba.

No Balanço Social do Incaper de 2013, entre as diferentes tecnologias avaliadas, as variedades melhoradas representaram de forma direta 36% do valor desse estudo, que equivale a cerca de R$ 300 milhões de reais.

A nova geração
Continuando as pesquisas, em 2013, após doze anos de pesquisas, o Incaper lançou e protegeu mais três variedades de café conilon para o Espírito Santo. São, Diamante ES8112, Centenária ES8132 e ES8122 – ‘Jequitibá’. Cada uma formada pelo agrupamento de nove clones, com elevada produtividade, época distintas de maturação dos frutos, moderada tolerância a ferrugem e de forma inédita com qualidade superior de bebida.

Estas novas variedades estão sendo multiplicadas em 166 Jardins clonais em parceria com o Incaper (viveiristas, prefeituras municipais, associações de produtores, instituições de ensino) totalizando 177 mil matrizes. A rede de jardins clonais implantada apresenta o potencial para produção de 30 a 40 milhões de mudas por ano, atendendo a partir de 2016, mais de 50% da demanda estadual de mudas.

As variedades Diamante, Jequitibá e Centenária são cerca de 30% mais produtivas que a média das seis variedades anteriormente desenvolvidas e lançadas pelo Incaper. Em três fazendas experimentais do Incaper, implantadas e conduzidas seguindo as recomendações técnicas, registraram-se produtividade média na ordem de 120 sacas por hectare, bem acima da média do Estado, que é de 35 sacas por hectare.

Parceiros do 3º Prêmio Conilon Especial
O 3º Prêmio Conilon Especial – Concurso Estadual Conilon de Qualidade conta com inúmeros parceiros. Entre os vários parceiros do Prêmio estão empresas como Nestlé, com a marca NESCAFÉ® que é pioneira no desenvolvimento de ações baseadas no conceito de criação de valor compartilhado na cadeia produtiva de café conilon. A Fertilizantes Heringer, Pinhalense, Unimed Norte Capixaba, Coopeavi, Sebrae, Metalúrgica Fardin, Viveiro São Gabriel, Kubit Comércio Café, Cooabriel, Pentair, ImoControl, CQI, Agrobis, BUNN.

Todo o concurso conta ainda com o apoio do Governo do Estado, Secretaria Estadual de Agricultura e INCAPER. Também apóiam as prefeituras de Águia Branca, Alto Rio Novo, Anchieta, Baixo Guandu, Boa Esperança, Jaguaré, Linhares, Pedro Canário, Pinheiros, São Domingos do Norte, Santa Tereza, São Mateus e Sooretama. Outros municípios participam por meio de seus concursos locais, como Cachoeiro de Itapemirim, Castelo e Conceição do Castelo. Bem como os municípios atendidos pela Coopeavi e Coabriel.

Fonte: Assessoria Imprensa Conilon Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *