Perspectivas e desafios da cafeicultura mundial em foco

Imprimir

O cenário mundial da cafeicultura, suas perspectivas e desafios, será mais uma das discussões promovidas pelo VII Simpósio de Pesquisa dos Cafés do Brasil, que acontecerá de 22 a 25 de agosto, em Araxá (MG). A relevância do crescimento e desenvolvimento sustentável do agronegócio café, a partir do cenário global, será abordada na palestra do diretor executivo da Organização Internacional do Café (OIC), José Dauster Sette (foto: arquivo OIC), no primeiro dia do evento.

O palestrante vai falar sobre as perspectivas do cenário cafeeiro mundial a curto e longo prazo com destaque para os desafios enfrentados pelo setor produtivo. A apresentação, mediada pelo diretor do Departamento de Café do Ministério da Agricultura (DCAF/Mapa), Robério Silva, promete boas reflexões e discussões sobre o futuro desse agronegócio no mundo, considerando, principalmente, a contribuição da pesquisa nesse cenário. Para Sette, “a pesquisa básica e aplicada é fundamental para o desenvolvimento saudável do setor cafeeiro mundial”. Dessa forma, momentos de intercâmbio entre os pesquisadores como este promovido pelo Simpósio “são muito importantes para ampliar e divulgar o conhecimento científico”, ressalta. O palestrante defende ainda que “os pesquisadores não devem trabalhar em compartimentos estanques, mas estarem abertos a um intercâmbio fértil com seus pares”.

Entre os pontos que pedem atenção da pesquisa cafeeira, segundo José Sette, estão o mapeamento do genoma do café, a conservação da diversidade genética e da biodiversidade, métodos de manejo de pragas e doenças, o desenvolvimento de novas variedades resistentes a pragas e doenças e melhor adaptadas às mudanças climáticas, aumento de produtividade, melhoria da qualidade do café, usos alternativos dos subprodutos do café, a redução do uso de água no cultivo e no processamento pós-colheita, a mensuração da pegada do carbono e a demanda hídrica do cultivo de café e a segurança alimentar.

Outro desafio que será abordado na palestra é a relação da produção frente à demanda. Os desafios da cafeicultura mundial se mostram grandes e diversos enquanto a demanda por café no mundo continua crescendo. “A produção precisa superar uma grande variedade de obstáculos, englobando os pilares econômico, social e ambiental, para crescer e atender ao aumento do consumo”, destaca o palestrante.

Essas e muitas outras questões de interesse para a cadeia produtiva do café e para seu incremento técnico-científico serão tratadas nos quatro dias do VII Simpósio de Pesquisa dos Cafés, que nesta edição será organizado pelas instituições do Consórcio Pesquisa Café: Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), Universidade Federal de Lavras (Ufla) e Universidade Federal de Viçosa (UFV) e co-organizado pela Embrapa Café.

Ainda dá tempo de participar desta e das mais de 20 discussões que o Simpósio promoverá, entre palestras, mini-cursos e painéis de discussão. As inscrições e a programação completa do evento estão disponíveis no site oficial do Simpósio. Acesse e participe!

Fonte: Área de Comunicação & Negócios da Embrapa Café

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *