Pequenos produtores de café de Minas Gerais estão buscando emprego na cidade

Imprimir

Em uma pequena propriedade no município de Cabo Verde, sul de Minas Gerais, o agricultor João Costa cultiva café.

A falta de dinheiro para cuidar dos 5 mil pés e as dívidas fizeram com que ele e a família se mudassem há quatro meses para a cidade. A mulher, Maria Reis Costa, não se conforma com a mudança. "Fico muito triste, tivemos que vender tudo", diz.

Da pequena propriedade, saíram este ano 80 sacas de café, que foram vendidas em média por R$ 230, preço muito baixo, já que o custo de produção está em R$ 320.

João agora está trabalhando como pedreiro na cidade. Nesta época é comum que os trabalhadores contratados para a colheita sejam dispensados e procurem o sindicato para conseguir outro emprego, mas este ano, junto com eles também migraram também os pequenos produtores.

Nos últimos dois meses, o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Cabo Verde recebeu cerca de 200 currículos, metade deles de pequenos produtores buscando serviço. O sindicato tem buscado parcerias com empresas da região.

Na sexta-feira (22), o Ministério da Agricultura anunciou a prorrogação das dívidas dos cafeicultores. O prazo de pagamento das parcelas de custeio que vencem este ano foi adiado para julho de 2015.

Para ter direito à prorrogação, o agricultor deverá quitar 20% do montante até 15 de janeiro do ano que vem e todas as dívidas de investimento podem ser pagas um ano após o vencimento do contrato.

Fonte: Globo Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *