Pausa para o cafezinho: café pode substituir injeções de insulina para diabéticos

Imprimir
Por Lilian Trigolo

Os dias com injeção de insulina podem estar contados. De acordo com pesquisadores na Suíça, o futuro do tratamento do diabetes não será agulhadas depois de uma refeição, mas sim uma dose de café. Os cientistas esperam transformar a vida dos diabéticos que precisam de insulina regularmente, e desenvolveram um implante celular que induz o corpo a produzir mais insulina sempre que detecta cafeína na corrente sanguínea.

Os testes foram feitos em 10 ratos diabéticos, e mostraram que tal implante sob a pele pode ser desencadeado com vários tipos de bebidas contendo cafeína, desde o clássico expresso até energéticos e chás. Os resultados variaram com a quantidade de cafeína presente em cada bebida. Dessa forma, se alguém precisa produzir muita insulina, basta consumir bastante cafeína.

O implante não deverá ficar pronto para seres humanos em breve. Fussenegger acredita que pode levar uma década até que os testes e ensaios necessários sejam feitos para demonstrar que a abordagem é segura e eficaz. O implante pode durar de seis meses a um ano antes de precisar ser substituído ”, disse Fussenegger.

De acordo com a revista Nature Communications, os pesquisadores suíços descreveram como eles modificaram as células humanas para produzir um medicamento para diabetes chamado GLP-1. As células do implante estimula as chamadas células beta no pâncreas órgão a produzir insulina, que por sua vez controla os níveis de açúcar no sangue.

cafezinho (800 x 453)

As células contêm um “circuito genético” que lhes permite detectar moléculas de cafeína ao varrer a corrente sanguínea. Quando as células detectam cafeína, elas reagem fabricando GLP-1. O implante é composto de milhares de cápsulas semelhantes a gel, cada uma contendo centenas de células projetadas.

“Quando você os injeta sob a pele, eles ficam juntos como caviar”, disse Fussenegger. As cápsulas de gel protegem as células do sistema imunológico, mas permitem a entrada de cafeína e o GLP-1. Mais de 400 milhões de pessoas em todo o mundo são afetadas pelo diabetes tipo 2 e controlar os níveis de açúcar no sangue é uma parte crucial.

Vamos ficar na torcida para o implante se tornar viável, isso iria ajudar a vida de milhares de pessoas. E bastaria manter a rotina diária do cafezinho depois das refeições para ter a diabetes controlada, até um café coado ou um expresso está valendo mas sem usar açúcar para adoçar a bebida.

O que achou da nossa matéria?! Compartilhe conosco! Uma ótima semana a todos, abraço e até o próximo e saboroso cafezinho.

 

Lilian Trigolo
Coffee Lover, apaixonada pelo universo do café, e toda a sua cultura cafeeira, formada em Administração de Empresas com Ênfase em Comércio Exterior.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *