Pausa para o Cafezinho: Café de Olla, tradicional bebida mexicana

Imprimir
A Coluna Pausa para o Cafezinho desta semana é sobre a história do Café de Olla, bebida profundamente enraizada na história mexicana.

O mais interessante da origem dessa bebida é que as mulheres desempenharam um papel fundamental na criação do café de olla.

Em meados de 1800, durante a Revolução Mexicana, as mulheres deixaram sua marca na linha de frente. Aquelas que participaram dos esforços de guerra foram chamadas de Adelitas, justamente em homenagem a Adela Velarde Pérez, uma enfermeira de Ciudad Juarez.

Ela se tornaria uma figura central na forma como as mulheres eram vistas durante a Revolução Mexicana, devido ao papel desempenhado ao ajudar os soldados feridos. Adela inspirou e abriu caminho para que outras mulheres em guerra fossem reconhecidas pelas suas contribuições, sendo uma delas o café de olla.

O papel da mulher durante a guerra não era fácil, já que elas cuidavam de tudo para auxiliar os soldados em suas acomodações, carregando sacolas, montando e desmontando acampamentos, além de cuidar de toda a comida deles, e foi em um desses campos de guerra durante a Revolução Mexicana que nasceu o café de olla.

Para manter a resistência desses soldados, as adelitas criaram uma mistura de especiarias, café e açúcar em potes de barro gigantes que elas distribuíam à todos os soldados para terem disposição e energia durante a longa guerra. Essa mistura de café seria chamada de café de olla, que significa literalmente “café de panela de barro, ou café de pote”.

Foi em áreas como o porto de Veracruz que o café fez sua primeira aparição no México e aos poucos surgiram as plantações de café, principalmente nos estados de Oaxaca, Chiapas e Veracruz. Isso desempenhou um papel importante no crescimento da bebida em todo o país, onde as mulheres dessas comunidades elaboravam a sua própria versão do café de olla.

No México, o café de olla é feito basicamente com café torrado e moído, canela e piloncillo (que é um doce elaborado com cana-de-açúcar, semelhante a nossa rapadura). Os ingredientes opcionais são casca de laranja, anis e cravo.

Fico imaginando o cheiro convidativo da canela junto com o café, e dizem também que no México esta bebida faz parte das tradições de natal.

A receita foi aperfeiçoada ao longo desses anos, e o café pode ser preparado com o tipo de café que você preferir, mas no México eles utilizam o grão com torra mais escura para fazer esta bebida, um café mais forte sendo preparado na panela de barro, essa é a perfeita e tradicional apresentação para o verdadeiro sabor do café mexicano.

Não temos dúvidas que sem as mulheres não existiria o café de olla, as mulheres desempenharam um papel importante naquela época e sua influência estava no campo de batalha, bem como no café de olla que ajudava a abastecer os soldados. As mulheres não só preparavam a comida, mas também lutavam nas linhas, por isso o termo “La Adelita” é motivo de muito orgulho entre as mulheres mexicanas.

Essas mulheres foram heroínas por várias razões, mas sem dúvida deixaram sua marca com a criação de uma bebida que é apreciada até hoje, seja conectando mais pessoas com as suas raízes ou apenas pela expansão de diferentes cafés.

Fiquei tão curiosa para me aproximar e entender mais um pouco deste preparo de café tão cheio de história e tradição, que encontrei um vídeo bem bacana de uma senhora que me encantou, ela compartilha em seu rancho várias receitas deliciosas em um canal no youtube, a apresentação dela inclusive é “do meu rancho à sua cozinha”.

Veja o vídeo dela preparando o café de olla em um fogão a lenha, com panela de barro acompanhado de um almoço elaborado com ovos e pimentão vermelho, também ficaram com vontade de provar?!

E você o que achou da nossa matéria? Compartilhe conosco!

Uma ótima semana a todos, abraço e até o próximo e saboroso cafezinho.

 

Lilian Trigolo
Cafeicultora e Coffee Lover – apaixonada pelo universo do café, e toda a sua cultura cafeeira.

Instagram: @liliantrigolo
E-mail: lilianmg.trigolo@gmail.com