Para evitar roubo, cooperativas investem em pontos de coleta e recolhem café das propriedades no Sul de MG

Imprimir

Os constantes registros de roubos de café armazenado em propriedades rurais fizeram as cooperativas do Sul de Minas apostarem em novas alternativas para armazenar o produto. Uma delas é a instalação de pontos de coleta, dentro das cooperativas, divididos em microrregiões. A ideia é evitar que criminosos sejam atraídos pelo grande volume de café no estoque das propriedades rurais.

Uma das cooperativas do Sul de Minas, em Três Pontas, começou a trabalhar com pontos de coleta em cinco cidades próximas – Ilicínea, Córrego do Ouro, Coqueiral, Santana da Vargem e Santo Antônio do Amparo.

A preocupação da Polícia Militar é evitar ocorrências de roubo de café na região. “Não só o risco na mão de marginais, na prática destes crimes, mas também pelo prejuízo de perder toda a carga de café simplesmente por não retirar essa carga da própria propriedade, estocando agora em lugar seguro, que é a cooperativa”, explica o sargento da Polícia Militar Eli Torres.

cocatrel coqueiralPara evitar roubo, cooperativas investem em pontos de coleta e recolhem café das propriedades no Sul de Minas — Foto: Reprodução/EPTV

“O café vindo pra cá é uma segurança a mais. Aqui a gente tem um galpão, um armazém de primeira qualidade, com todo equipamento preparado pra receber e armazenar o café do associado, até o momento que ele achar melhor para comercializar o café”, explica o gerente de armazém Guilherme Pineli.

A produção, que antes ficava armazenada nas fazendas, agora segue para as cooperativas menores. Além de armazenar o café, as cooperativas assumiram o transporte, o que atraiu ainda mais produtores para a iniciativa. Produtores que antes gastavam R$ 900 de frete conseguiram reduzir o custo para R$100.

“Eu tinha que mandar ou para o armazém de Nepomuceno, ou para o armazém de Três Pontas. Terceirizava frete e agora isso barateou muito meu custo”, conta o produtor Cássio Faria Rossi.

O estoque do café na cooperativa também dá garantias aos produtores em caso de roubo. “O produtor em posse dessa nota fiscal já garante o seguro da sua saca de café no transporte da propriedade até o armazém”, explica o gerente do armazém em Coqueiral, Wiliques Antônio Honório.

Fonte: G1 Sul de Minas e EPTV Sul de Minas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *