Para conter alta do dólar, BC elimina compulsório sobre posição vendida

Imprimir

O Banco Central (BC) informou, na noite desta terça-feira, 25, o fim do recolhimento compulsório sobre posição vendida dos bancos no mercado de câmbio.

No jargão do mercado financeiro, estar "vendido" representa a expectativa de queda no preço da moeda norte-americana ante o real. Já estar "comprado" significa a aposta de que as cotações do dólar podem subir. Ao ter a moeda em caixa, é possível lucrar com uma eventual alta das cotações.

A medida vale a partir da publicação no Diário Oficial da União e terá efeito para o período de cálculo a partir de 1º de julho. A medida cambial foi criada em janeiro de 2011 e alterada algumas vezes. Desde dezembro do ano passado, o compulsório era de 60% sobre a posição vendida que ultrapassasse US$ 3 bilhões.

Em janeiro de 2011, a posição vendida estava em US$ 16 bilhões. Atualmente, os bancos não estão em posição vendida. Ao contrário, as instituições estavam compradas em US$ 4,473 bilhões no dia último 19, segundo informou o BC na semana passada. A mudança foi divulgada por meio da Circular 3.659 no BC Correio.

Há duas semanas, o Ministério da Fazenda eliminou outra trava que limitava o recuo da moeda americana. O governo eliminou a cobrança de 1% de Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) sobre os chamados derivativos de câmbio – instrumentos usados por investidores para especular sobre a cotação da moeda.

A retirada do imposto, como no caso do compulsório, vale para quem aposta na queda do dólar. O IOF nessas operações foi adotado pelo governo em julho de 2011 para evitar que o real ficasse muito forte, o que encarecia os produtos nacionais lá fora. Atualmente, a situação é a inversa. O dólar acumula alta de 8,07% em 2013.

Fonte: Agência Estado

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *