OIC mantem previsão de produção global de 133 milhões de sacas e café na safra 2010/11

Imprimir

A Organização Internacional do Café (OIC) manteve inalterada a previsão de produção global de 133 milhões de sacas na safra 2010/11, em relação à projeção de setembro, conforme relatório divulgado hoje.

No documento, a OIC observa, no entanto, que a safra 2010/11 pode ser prejudicada pelo "inesperado" clima adverso em algumas das principais regiões produtoras, "provocando preocupações com relação à oferta de curto prazo".

Conforme a OIC, fortes chuvas podem ter impacto negativo sobre a colheita no Vietnã, Índia, Colômbia, assim como na América Central. "A Colômbia está se movendo para o terceiro ano consecutivo de baixa produção", alerta a organização.

Também é esperada uma safra menor em outros países exportadores, como Indonésia. Essa combinação de fatores pode reduzir o aumento da produção global em 2010/11, que deverá ser maior por causa do crescimento da safra brasileira, em virtude da bienalidade do café arábica.

A produção mundial na safra 2009/10 está estimada em cerca de 120 milhões de sacas ante 128,4 milhões de sacas em 2008/09. O consumo mundial de café está projetado em 129,1 milhões de sacas em 2009 em comparação com 130,6 milhões de sacas em 2008.

O consumo médio global nos últimos 10 anos é de cerca de 119 milhões de sacas, indicando tendência positiva principalmente em países exportadores e algumas economias emergentes. Conforme o relatório da OIC, a oferta limitada levou a uma redução substancial nos estoques de países produtores na safra 2010/11.

O volume pode ter caído para nível historicamente baixo, de menos de 12 milhões de sacas. O estoque baixo e os atrasos na colheita em alguns países, por causa da chuvas, continuam a causar preocupações com relação ao abastecimento no curto prazo.

Estima-se que o estoque de café verde em países importadores era de 19,2 milhões de sacas no fim de junho passado. Segundo a OIC, os preços internacionais do café mantiveram-se firmes em outubro, mesmo com a queda geral provocada pela redução das cotações do arábica.

O preço médio composto da OIC ficou em 161,56 cents de dólar por libra-peso, representando ligeiro recuo de 1,3% ante a média de 163,61 cents de setembro. No entanto, o preço composto diário bateu 172,57 cents no dia 29 de outubro, nível mais a lto desde 9 de junho de 1997.

De acordo com a OIC, o comportamento do mercado no mês passado foi caracterizado pelo aumento do preço do café robusta, que marcou recorde de dois anos, resultando em diminuição dos diferenciais com os grãos arábica.

Fonte: Revista Cafeicultura

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *