Oferta feita à Syngenta faz Monsanto perder oportunidade da década, diz consultor

Imprimir

A oferta de US$ 43 bilhões da estatal chinesa ChemChina pela Syngenta, aprovada nesta quarta-feira, 3, pelo Conselho de Administração da gigante suíça, deve levar a Monsanto a buscar adquirir companhias de menor porte no setor de agrotóxicos, disse ao Broadcast Agro o sócio da consultoria Agrosecurity, Fernando Pimentel.

"Com a operação, a Monsanto perdeu a oportunidade da década. Nos últimos anos a empresa tinha começado a buscar oportunidades e sinergia da biotecnologia (sementes transgênicas) com a química (agrotóxicos). Agora terá de buscar alternativas de menor porte se quiser ampliar atuação na área química", afirmou Pimentel.

Uma das razões para a avaliação de que a Syngenta era a melhor opção para a Monsanto, segundo o consultor, é a abrangência do portfólio de agroquímicos da companhia suíça, formado por inseticidas, fungicidas, herbicidas e acaricidas destinados a diversas culturas.

Pimentel ponderou que, caso a companhia norte-americana venha a adquirir empresas de menor porte que a Syngenta, terá de investir no desenvolvimento de um portfólio de produtos, algo com o que grandes companhias já contam. "As empresas médias, de forma geral, não têm pipeline, um plano de lançamentos. As grandes, por contarem com área de pesquisa forte, já têm isso", explicou.

A operação entre Syngenta e ChemChina abre oportunidades ainda, no curto prazo, para concorrentes da companhia suíça. "Em dois ou três anos a empresa tende a perder um pouco o foco até definir uma diretriz mais clara de negócios. É uma oportunidade inicial para os concorrentes. Mas depois ela deve acertar seu caminho", declarou Pimentel.

Histórico

O atual processo de aquisição da Syngenta foi iniciado pela Monsanto em maio de 2015, quando a norte-americana ofereceu US$ 46 bilhões pela empresa suíça, mas não obteve sucesso e desistiu do negócio, em agosto. Em novembro passado, surgiram os primeiros boatos sobre o interesse da ChemChina em adquirir a Syngenta.

Se confirmado, o negócio será a maior aquisição de uma empresa chinesa na história e oferecerá à ChemChina tecnologia de ponta do desenvolvimento de sementes. Para Syngenta, o acordo apresenta o prospecto de capitalizar a empresa e garantir o acesso ao mercado chinês. Hoje pela manhã, a empresa suíça divulgou seus resultados financeiros de 2015, reportando lucro líquido de US$ 1,339 bilhão, 17,29% menor que em 2014.

Fonte: Estadão Conteúdo via IstoÉ Dinheiro

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *