O melhoramento do café Conilon no estado de Rondônia

Imprimir

Em geral, o nível de tecnologia empregado nessas lavouras é baixo e a seleção de plantas de maior potencial produtivo e uniformidade de maturação pode ser considerada uma das melhores alternativas para a cafeicultura do estado.  

O cafeeiro Conilon caracteriza-se como uma planta de fecundação cruzada que apresenta naturalmente mecanismos que impedem uma planta de se autofecundar. A alta heterogeneidade entre plantas de uma mesma lavoura é característica marcante dessa espécie, que apresenta alta variabilidade genética natural e polinização cruzada entre gerações. 

Na espécie C. canephora existem dois grupos botânicos distintos, chamados popularmente de Conilon e Robusta. A variedade botânica Robusta caracteriza-se por apresentar maior vigor, folhas e frutos de maior tamanho, maturação tardia, menor tolerância ao déficit hídrico e maior tolerância a pragas e doenças. Já a variedade botânica Conilon caracteriza-se por apresentar florescimento precoce, caules ramificados, folhas alongadas, resistência a seca e maior suscetibilidade a doenças.  

Associado ao desenvolvimento da cafeicultura rondoniense, no período de 1978 a 1996, as atividades de melhoramento genético do café desenvolvidas na Embrapa Rondônia foram limitadas às avaliações de clones desenvolvidos nas principais instituições de pesquisa cafeeiras, como: Instituto Agronômico de Campinas (IAC), Universidade Federal de Viçosa (UFV) e Instituto Agronômico do Paraná (Iapar). Nesse período, os principais objetivos foram: a indicação de cultivares e a adaptação de técnicas de manejo. 

Considerado como o marco inicial da mudança das estratégias, no ano de 1998 foi estruturado o programa de melhoramento genético com o objetivo de explorar a variabilidade fenotípica dos cafezais do estado. Nos anos de 1997 a 2000 foram realizadas expedições para avaliação, clonagem e coleta dos acessos selecionados fenotipicamente nos principais pólos cafeeiros de Rondônia: Cacoal, Rolim de Moura e Ji-Paraná. Em um primeiro estágio a produção de café beneficiado foi a principal característica considerada para a seleção de clones de boa adaptação. 

O programa de melhoramento do cafeeiro da Embrapa Rondônia fundamenta-se na manutenção das características das variedades botânicas Robusta e do Conilon, visando à seleção de plantas e o desenvolvimento de híbridos entre elas, explorando o maior vigor que se manifesta no cruzamento, com a possibilidade de reunir, em uma mesma planta, as melhores características de cada uma das variedades botânicas. Em linhas gerais, objetiva-se obter plantas com a arquitetura de copa, precocidade e resistência à seca do Conilon, associado ao vigor, tamanho de frutos e resistência a pragas e doenças do Robusta.

Fonte: Embrapa Rondônia

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *