Nutricionista fala sobre consumo do café e tira dúvidas sobre bebida

Imprimir

A nutricionista Karin Honorato fala neste sábado (7) sobre uma das bebidas preferidas dos brasileiros, o café. Segundo ela, não há estudos conclusivos que apontem apenas benefícios ou malefícios do café. “O café tem os dois lados. E isso vai depender da quantidade, do tipo de café e da pessoa, para poder saber quais são as vantagens de se tomar aquele cafezinho”, afirma.

Karin recomenda o consumo diário de, no máximo, três xícaras de café. E ressalta que para aproveitar os benefícios da bebida o ideal é que seja sem açúcar ou adoçante. Ela explica que há diferença na concentração de cafeína, dependendo do tipo de café. De acordo com ela, o pó tradicional pode ter até 150 miligramas de cafeína por xícara, já o expresso até 300 miligramas.

O café é o alimento mais rico na substância estimulante cafeína, segundo a nutricionista. A bebida deve ser consumida com muita moderação, afirma. Segundo Karin, o café em excesso não é indicado para pessoas muito ansiosas, agitadas, que dormem mal ou até mesmo quem têm insuficiência renal ou outras complicações no rim.

Nutricionista tira dúvidas
O café aumenta o colesterol e a pressão, causando problemas cardiovasculares?
– O café possui substâncias, como o cafestol, que podem aumentar o colesterol. Mas se for consumido coado, essa substância não passa para a bebida. Dessa forma, a pessoa não tem aumento da pressão e do colesterol.

O café aumenta as chances de osteoporose?
– Conseguiram analisar que as pessoas que consumiam mais de 500 miligramas de cafeína por dia e consumiam menos de 800 miligramas de cálcio ficavam deficientes em cálcio. E isso aumentava também, com o excesso da cafeína, a eliminação do cálcio urinário. E teriam mais chance de ter osteoporose.

O café pode provocar insônia?
Karin diz que sim. Mas recomenda para a pessoa, que quer ter uma boa qualidade de sono, parar de consumir café até seis horas antes de dormir.

A nutricionista ainda afirma que a cafeína é importante para estimular o sistema nervoso central. “Melhora as nossas funções cerebrais e até mesmo as nossas funções cognitivas. Melhora a memória, deixa a pessoa em estado de alerta e até mais concentrada”, diz. Mas ela ressalta que o consumo de café em excesso pode reverter essa situação.

Sobre problemas estomacais como gastrites e úlceras, Karin ressalta que o café até estimula a digestão de alguns alimentos. Mas para quem já tem alteração na acidez, a ingestão de uma xícara da bebida pode aumentar o problema.

Fonte: G1 Minas Gerais

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *