Novas perspectivas para o melhoramento convencional do cafeeiro

Imprimir

O VII Simpósio de Pesquisa dos Cafés do Brasil, que acontecerá de 22 a 25 de agosto, em Araxá (MG), está com sua programação definida, tendo confirmadas participações de nomes destacados nas diferentes áreas do conhecimento e da pesquisa em café. Para coordenar o painel de discussão sobre “Novas perspectivas para o melhoramento convencional”, no dia 24 de agosto, foi convidado o professor do Departamento de Biologia da Universidade Federal de Lavras (Ufla), Magno Antônio Patto Ramalho, doutor em Genética e Melhoramento de Plantas.

Ramalho dividirá sua apresentação em três momentos, iniciando com um relato sobre a história do melhoramento do cafeeiro no Brasil. “Posteriormente iremos discutir sucintamente o que se tem atualmente a respeito do conceito de gene. O objetivo é mostrar que não há substituto para a avaliação das linhagens sob condição de campo. No terceiro momento será realizada uma proposta de condução de um programa de melhoramento do cafeeiro”, completa o professor.

O melhoramento convencional enfatiza o uso de técnicas de genética Mendeliana, não recorrendo, nesse painel, à abordagem de técnicas de biotecnologia – estas serão tratadas especificamente no painel de discussão “Biotecnologia na cafeicultura”, também na PROGRAMAÇÃO do Simpósio.

Para Ramalho o uso de técnicas de melhoramento do cafeeiro, desde o pesquisador Alcides de Carvalho, contribuiu enormemente para o agronegócio do café no Brasil. “Mais recentemente jovens melhoristas estão começando os seus programas de pesquisa. Evidentemente, tudo o que foi realizado no passado teve e tem sua importância. O que será proposto é uma alternativa para tornar o processo ainda mais eficiente”, ressalta.

Em relação à pesquisa, o professor diz acreditar que o Brasil possua o maior contingente, e bem qualificado, de melhoristas de café do mundo. “Existem profissionais bem experientes e número expressivo de jovens doutores. O que esperamos é o intercâmbio de experiência entre esses grupos e também com aqueles que trabalham com outras espécies”.

As inscrições para o Simpósio continuam abertas, o tema desta edição é “Articulação em Redes de Pesquisa e Novas Fronteiras do Conhecimento”. O VII Simpósio de Pesquisa dos Cafés do Brasil é promovido pelo Consórcio Pesquisa Café, com organização da Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), Ufla e Universidade Federal de Viçosa (UFV), e co-organização da Embrapa Café.

Acesse aqui o SITE do evento, faça sua inscrição e participe.

Fonte: Área de Comunicação & Negócios da Embrapa Café

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *