No ES, técnicos monitoram e orientam a colheita do café conilon

Imprimir

Começou a colheita do café conilon em algumas fazendas do Espírito Santo. A expectativa é de uma produção melhor nesta safra e é importante ficar atento as dicas do Instituto Capixaba de Pesquisa e Assistência Técnica (Incaper) para evitar perdas.

A colheita de café em uma fazenda em João Neiva começou há uma semana. São 10 mil plantas carregadas de grãos vermelhos. O produtor Ronaldo Batista espera aumento na produção deste ano e para dar conta de retirar os grãos em 30 dias, ele precisou contratar mão de obra de fora do estado. São 10 trabalhadores de Minas Gerais, que moram a 300 quilômetros do local e vão receber R$ 9 por cada saca de café colhida.

Além de se preocupar com mão de obra, o produtor precisa ter vários cuidados durante a colheita para garantir a qualidade do café. A primeira orientação é retirar os grãos somente quando 80% deles estiverem maduros.

Já no secador, os produtores devem ficar atentos a detalhes importantes que fazem a diferença, principalmente, na hora de vender os grãos. A temperatura do secador deve ser de 60ºC e o café deve ficar no fogo por 20 horas. “Tem produtor que seca por muito menos tempo que isso, o que interfere na qualidade e na comercialização, o preço fica muito inferior”, explica Danilo Sason, técnico agrícola do Incaper.

Fonte: Globo Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *