No Dia Nacional do Café ABIC dá dicas ao consumidor

Imprimir
24 de maio é o Dia Nacional do Café. A data foi incorporada ao Calendário Brasileiro de Eventos em 2005, por sugestão da ABIC, e simboliza a época da colheita na maior parte das regiões produtoras. Festejado com diversas ações das indústrias de torrefação, cafeterias, cooperativas, exportadores, produtores, varejo, imprensa e por todos apaixonados por este produto, que é cultivado há mais de 290 anos em terras brasileiras.

Uma das mais antigas bebidas da humanidade, o café é um produto que se mantém atual e moderno, incorporando inovações que atraem os consumidores, levando-os à experimentação e à descoberta de qualidades e origens diferenciadas, com mais aroma e sabor. Sendo o segundo maior País consumidor de café no mundo, com a marca de mais de 21 milhões de sacas no ano de 2017, superado apenas pelos Estados Unidos, o Brasil é o maior produtor e exportador, gerando 5 milhões de empregos na cadeia produtiva, com um faturamento anual na marca de 7,5 bilhões de dólares.

Puro, pingado com leite, coado, filtrado, tirado de uma máquina de ‘espresso’, em cápsula, combinado com outros ingredientes, cappuccinos, com ou sem creme; não importa qual a receita ou forma de preparo, o fato é que o café está presente em 98% dos lares brasileiros, sendo a bebida mais consumida no mundo depois da água, fazendo parte do dia a dia das famílias. O café é uma bebida natural e saudável, e se consumido em doses adequadas pode ajudar a prevenir diversas doenças.

Para comemorar a data, a ABIC reuniu uma série de dicas sobre como comprar, armazenar e preparar um excelente café coado ou filtrado em casa.

Qual o melhor café?

O melhor café é aquele que a pessoa mais gosta. Existem cafés para todos os gostos e bolsos. Uma boa forma de descobrir qual o melhor café é fazer um teste comparativo.

Compre duas embalagens pequenas (250 gramas) de duas marcas diferentes. Prepare os dois simultaneamente. Coloque um em cada xícara e primeiro sinta o aroma, aproximando o nariz da borda. Em seguida, prove o primeiro e sinta o paladar, o corpo. Depois tome um gole de água (para limpar a boca), e experimente a segunda xícara e compare os dois.

Assim fica muito fácil saber qual é o café que mais lhe agrada e você pode descobrir ainda se gosta de café com torra mais escura, ou com torra mais clara; se gosta de café mais encorpado ou menos encorpado, e assim por diante.

Como comprar?

O café é um produto que absorve odores. Por isso, quando for ao mercado só compre se o café estiver longe de produtos de limpeza e de higiene. Depois, coloque-o em sacola separado das demais compras.

A embalagem mais tradicional é a chamada almofada (saco). Há também a embalagens a vácuo (semelhante a um tijolo), um processo de embalar o café através da retirada do oxigênio. A vantagem é que tem validade mais longa, de 12 a 18 meses. Existem outros tipos de embalagem que preservam o café por 12 meses. São aquelas que têm válvula aromática e as que têm gás inerte, normalmente nitrogênio em seu interior. Nesses dois casos, o ar interno é removido e isto ajuda a preservar o aroma e o sabor por muito tempo. Independente do tipo de embalagem é importante que ela esteja intacta e bem conservada.

Ao comprar, verifique o prazo de validade. Muitas embalagens já trazem também informações como a origem do grão (em que fazenda/região foi cultivado, altitude, variedade), se a torra é clara, média ou escura.

O que são os selos de certificações?

Uma boa orientação para o consumidor são os certificados estampados nas embalagens. A ABIC possui um Programa de Autorregulamentação que monitora, por meio de coletas nos pontos e vendas e de análise em laboratórios autorizados, mais de 3.000 marcas por ano. Somente após esse processo a indústria associada à ABIC recebe autorização para estampar o Selo de Pureza. O PQC – Programa de Qualidade do Café classifica, garante e identifica a qualidade do produto com os selos das categorias Extraforte, Tradicional, Superior e Gourmet.

As categorias dos produtos do PQC são determinadas após análise sensorial, feita em laboratório, da Qualidade Global do café na xícara, quando especialistas pontuam notas em uma escala de 0 a 10, sendo que o nível mínimo de qualidade é 4,5 pontos (abaixo disso, não é um produto recomendável para consumo).

Cafés Tradicionais ou Extrafortes são indicados para o consumo do dia-a-dia, com custo menor. São comparáveis aos vinhos de mesa, que tem qualidade regular, mas preço menor, para o consumo diário. São constituídos de cafés arábica, robusta/conilon ou blendados. (A nota de Qualidade Global fica na faixa de 4.5 a 5.9 pontos).

Os cafés Superiores têm qualidade boa e sabor mais acentuado. São comparáveis aos vinhos superiores, que estão na escala intermediaria de qualidade, melhores que os Tradicionais e/ou Extrafortes e com valor agregado. São constituídos de cafés arábica, ou blendados com robusta/conilon. (Nota de Qualidade Global na faixa de 6.0 a 7.2 pontos).

Já os Cafés Gourmets são excelentes, exclusivos e de alta qualidade, com sabor e aroma mais suaves por causa da seleção dos grãos. Também é possível perceber notas frutais, achocolatadas e de nozes. São comparáveis aos vinhos mais finos, mais raros e de alta qualidade. (Nota de Qualidade Global na faixa de 7.3 a 10).

Como armazenar e conservar o café em casa?

Guarde o pacote de café na despensa, bem longe do armário de produtos de limpeza e de higiene.

Depois de aberta, guarde a embalagem ou transfira o pó para um pote que seja hermeticamente fechado, e coloque preferencialmente na geladeira. O pote tem que estar muito bem fechado para não entrar ar e, no caso da geladeira, para o café não entrar em contato com a umidade e o pó não adquirir os odores dos outros produtos e alimentos lá guardados.

O pote deve ser de uso exclusivo do café. Quando for repor o produto, lembre-se de lavá-lo e mantê-lo limpo e livre do pó anterior. Evite misturar o final de um pó de café com um novo. O ideal é consumir o café até duas ou no máximo três semanas após aberto.

Cuidados importantes

Use sempre água filtrada no preparo do café, e nunca a ferva em demasia. Não reaproveite o pó de café usado, chamado de borra, para preparo de nova bebida. Como o café é um produto que absorve qualquer odor ou perfume, só use detergente neutro para lavar todos os utensílios: chaleira, jarra de vidro, bule, porta-filtro, garrafa térmica, canecas e xícaras.

Resultado de imagem para fazendo caféPara garantir um café bem quentinho, escalde as xícaras com água fervente antes de servir e nos dias mais frios, escalde o próprio bule ou recipiente antes de passar o café. Escalde também a garrafa térmica, que deve ser de uso exclusivo para café. Importante: nunca adoce o café e só o mantenha na garrafa térmica por no máximo 1 hora – depois disso ele fica com gosto de requentado e perde todo o sabor. Só adoce o café na xícara, na hora que for bebê-lo.

Faça o café na quantidade ideal para o número de pessoas que vai consumi-lo. Assim, além de ter sempre um cafezinho muito gostoso, você ainda economiza e não desperdiça, jogando o café no ralo.

Dicas de preparo

Independente se for preparar um café no coador de pano ou no filtro de papel, para um pó com torra média use entre 6 e 8 colheres de sopa rasas para 1 litro de água (isso dá para fazer 20 xícaras. Se for fazer para 4 pessoas, use 3 colheres e 250 ml de água). Para um pó de café com torra escura use entre 5 e 6 colheres de sopa rasas para 1 litro de água

Coloque o pó no coador ou filtro uniformemente e não compacte ou aperte a camada de café. Comece molhando o café pelas beiradas. Depois, despeje a água lentamente, em fio, bem no centro. Não mexa com a colher.

O café coado é a forma de preparo mais tradicional no Brasil e resulta em uma bebida suave. Se o coador for novo, ferva-o em água com borra de café antes do primeiro uso. Nas demais vezes, lave o coador após o uso apenas com água. Guarde-o dentro da água, em pote fechado, preferencialmente na geladeira e lembre-se de trocá-lo ao menos a cada 3 meses.

Já o café filtrado em filtro de papel resulta em uma bebida menos encorpada. O processo de preparo é o mesmo do café coado. Porém, o filtro de papel deve ser do mesmo tamanho do porta-filtro.

Existem outros tipos de preparo, como o café solúvel, que é prático e não requer nenhum equipamento. Basta adicionar água quente (ou leite quente) ao pó. Também práticos e fáceis de usar são os cafés em cápsulas ou sachês, um segmento que vem conquistando muitos consumidores, não só nos lares, mas também nos escritórios, consultórios e academias.

Aproveite essas dicas para comemorar o Dia Nacional do Café com uma bebida especialmente feita por você. Escolha sua xícara predileta e prepare um café puro, ou uma média, e sinta todo o aroma, o corpo e o sabor que dão tanta energia e pique no dia a dia.

Fonte: Assessoria de Imprensa da ABIC – Tempo de Comunicação (Por Eduardo Buitron e Gabriela Buitron)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *