Nestlé amplia fábrica de cápsula de café em Montes Claros (MG)

Imprimir
A Nestlé investirá R$ 200 milhões na ampliação da sua unidade cápsula de café em Montes Claros (Norte de Minas). Com a ampliação, serão gerados mais 80 empregos diretos. A multinacional passará a ocupar 368 postos de trabalho na cidade do Norte de Minas, onde conta também com uma fábrica de leite condensado.

O anúncio foi feito nessa terça-feira (6) pelo diretor da área de Café da Nestlé, Pedro Feliu, e pela gerente da unidade de Montes Claros, Silvana Dias. A fábrica de cápsulas de café (da marca Nescafé Dolce Gusto) da multinacional no Norte de Minas foi inaugurada no fim de 2015 e entrou em operação no começo de 2016, com investimentos iniciais de R$ 220 milhões e a geração de 128 empregos diretos, anexa à unidade fabricante de leite condensado, que, atualmente, ocupa 160 trabalhadores.

Com a ampliação, a fábrica da Nestlé no Norte do estado vai dobrar a sua capacidade, passando de 400 milhões para 800 milhões de cápsulas por ano. Atualmente, a unidade conta com duas linhas de produção e 13 variedades de café em cápsula. Estão sendo instaladas outras duas linhas de produção. Uma delas entrara em operação em abril e a outra vai iniciar produção em maio.

Atualmente, além do mercado nacional, a unidade de cápsulas de café da Nestlé em Minas exporta para a Argentina, Uruguai e Paraguai. O diretor de Café da Nestlé, Pedro Feliu, revelou que a empresa tem também a intenção de exportar para outros países fora do Mercosul: Chile e México, principalmente. A matéria prima da fabrica (café das variedades conilon e arábica) é adquirida das mãos de 800 produtores de Minas Gerais, Espirito Santo e da Bahia.

A planta do território mineiro é a única unidade produtora de cápsula de café da multinacional fora da Europa, onde a companhia possui fábricas do produto na Espanha, Inglaterra e Alemanha. Mas, a indústria de Montes Claros também tem outro diferencial: 100% da água consumida na produção do café em cápsula é de água extraída do leite processado para a fabricação de leite condensado.

Fonte: Estado de Minas (Por Luiz Ribeiro)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *