Mulheres da IWCA Mantiqueira: a união faz a força!

Imprimir

No Sul de Minas Gerais, na Serra da Mantiqueira, Leticia Seda Albinati e Patrícia Borges se uniram com o objetivo de melhorar a qualidade de vida das mulheres que trabalham no café, principal produto da região. Mulheres catadoras, apanhadoras, meeiras, proprietárias, enfim, mulheres que viviam do café desde pequenas.

As histórias de vida destas eram emocionantes, com garra e perseverança. Mulheres que adubavam, plantavam, cuidavam de seus pés de café e para melhorar a renda da família, trabalhavam em outras lavouras cafeeiras. Mulheres que aceitaram o desafio de cuidar da fazenda até então de seus pais; gerir seu próprio negócio no imenso mundo agrícola, revolucionando o processo que até então existia, pois agora eram as lentes femininas que enxergavam o empreendimento.

Além de todas trabalharem no café existia um outro ponto em comum: todas tinham sede de conhecimento, sede de união. Me lembro da primeira reunião. Apareceram muitas mulheres e não deixaram para amanhã, nascendo assim a IWCA Mantiqueira. A cada dia mais mulheres queriam fazer parte e o elo de união e companheirismo ficava cada vez mais forte. Muitas eram meeiras e pequenas proprietárias que nunca haviam colocado seu café em uma cooperativa, achavam que era um sonho impossível.

Foi então que fechamos uma parceria com a MINASUL, que em um projeto social viabilizou o depósito de café destas mulheres. Ouvi o relato de uma das participantes: “Não consegui dormir esta noite. Meu café ia para uma cooperativa”. Sonhos que se realizaram. A MINASUL proporcionou a inclusão destas mulheres em um mundo até então impossível de se penetrar, trouxe uma valorização pessoal.

Pela primeira vez estas tiveram seus cafés pontuados e ficaram sabendo que produziam bebida mole. Mas elas não queriam estas novidades só para elas, e assim foram convidando mais mulheres a participarem, pois um fruto dividido se multiplica e nos torna mais humanas e fortes.

Participamos de feiras e pela primeira vez muitas conheceram outras cidades e ampliaram seu mundo e viram o quanto podiam ajudar outras pessoas. Todas envolvidas, todas iguais, decidindo juntas com transparência o que fazer. O principal fruto deste primeiro ano foi a valorização pessoal e a valorização do produto, pois conseguiram vender o café por um preço justo.

De uma forma natural, cada uma foi ajudando de acordo com seu perfil. A necessidade de sermos uma associação nos levou a criarmos a AMECAFÉ MANTIQUEIRA, que reúne todas as mulheres das cidades pertencentes da Serra da Mantiqueira em parceria com a APROCAM.

Hoje contamos com o apoio de entidades governamentais, cooperativas, armazéns, profissionais liberais, Qgraders, que nos enriquecem com seu apoio e tornam nossos objetivos mais próximos e reais. Com apenas um ano e meio de união é certo que temos muito trabalho pela frente, mas o pouco que se fez até agora já produziu muitos frutos e nos alimentamos destes para continuarmos com nosso trabalho.

Assim como um pé de café sozinho não nos traz uma recompensa financeira, tem de estar inserido, fazendo parte de toda uma lavoura, nós cafeicultoras, unidas, podemos mudar a história de nossas vidas.

Fonte: Agromulher (Por Leticia Seda Albinati)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *