Mulheres conquistam cada vez mais espaço nos cafezais de Minas Gerais

Imprimir

A fazenda herdada da família rendeu à Cecília do Vale, professora aposentada, conhecimento suficiente para comandar quase 30 homens e administrar uma produção de 180 mil pés de café, em Guaxupé, sul de Minas Gerais, onde o grão ocupa uma área de 70 hectares.

Também em Guaxupé, Fátima Bueno ficou viúva há 20 anos e precisou tomar conta da pequena propriedade deixada pelo marido para criar os filhos.

Quando assumiu o controle do cafezal, o conhecimento de Fárima sobre a produção de café era quase zero, mas com a ajuda de técnicos agrícolas e participando de simpósios e eventos, ela conseguiu transformar os dois mil pés de café que tinha em mais de 120 mil pés.

Para debater o assunto, Guaxupé sedia um encontro sobre os desafios que as produtoras de café enfrentam para administrar as propriedades.

Cerca de 200 mulheres entre cooperadas da Cooxupé e produtoras de café devem participar do encontro. Josiane Cotrin, agricultora e presidente da Aliança Internacional das Mulheres do Café, a IWCA, fala sobre o trabalho realizado com as agricultoras. Confira a entrevista no vídeo acima com a reportagem completa.

Fonte: Globo Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *