Morfologia do Cafeeiro Arábico

RAIZ:

O pião (Raiz mestra) deste cafeeiro é lenhoso, reto e tem a posição
vertical, fixando a planta no solo. Do Pião saem raízes oblíquas
e destas, em maior número, saem também raízes laterais
que caminham paralelamente ao solo e são providas de raízes capilares.
Estas últimas denominadas radicelas terminais, são cobertas de
pelos absorventes que tem a função de extrair do solo a água
e os sais minerais necessários à nutrição da planta.

TRONCOS E RAMOS:

O tronco do cafeeiro Arábico tem mais ou menos 8 a 10 centímetros
de diâmetro. A função do tronco é a de sustentar
a planta e distribuir a seiva. Diretamente do tronco saem os galhos primários
e destes os galhos secundários, dos quais saem finalmente os terciários.
Do tronco saem galhos verticais que procuram repetir a forma da planta adulta,
porém quase não produzem frutos e são denominados Galhos
Ladrões.

FOLHAS:

As folhas do cafeeiro são de pecíolo curto, de forma oval e alongadas
e em geral de uma cor verde escura. As folhas da Coffea Arábica possuem
de 9 a 12 partes e nervuras que formam um ângulo de mais ou menos 45 graus
com a nervura principal.

FLORES:

Em número de 4 a 16, são encontradas nos ângulos dos ramos
laterais. As flores são brancas e de aroma agradável. O botão
floral é verde e antes de abrir fica branco. O cálice e pequeno
e está colocado sobre o ovário. A corola tem a forma de tuba e
termina em 5 pétalas. Os estames (órgão masculino) em número
de 5, estão na parte superior da corola e apresentam ainda antenas. O
pistilo (órgão feminino), é um estilete saliente, terminado
por dois lobos estigmatíferos. O ovário é esférico
e tem duas lojas.

FRUTOS:

O fruto é ovóide e tem duas sementes. De início, ele é
verde, passando depois ao amarelo avermelhado (verdoengo), ao vermelho vivo
(cereja), ao vermelho escuro para finalmente escurecer totalmente (passa). O
corte de uma “cereja” nos mostra as seguintes camadas:
I – Epicarpo – É a pele avermelhada que envolve o fruto.
II – Mesocarpo – É uma camada gomosa e açucarada (mucilagem)
III – Endocarpo – É a membrana cartilaginosa que envolve cada semente
(pergaminho)
IV – Endosperma ou Albúmem – É a semente do café propriamente
dita e está envolvida por uma tênue película que se chama
espermoderma (membrana prateada).

FECUNDAÇÃO

Logo após o período das secas, com as primeiras chuvas, tem início
a florada. Este período dura de dois a três dias, porque as flores
não abrem todas ao mesmo tempo. A vida de uma flor do cafeeiro é
de aproximadamente 8 horas. A polinização é feita com a
queda do pólen sobre os estigmas. Quando chove na época da florada,
a polinização e bastante prejudicada e temos então o conhecido
fenômeno da “mela das flores”.

Depois da fecundação, o ovário se incha e na célula
do óvulo se desenvolve o endosperma, que é o grão do café
propriamente dito. Quando não há fecundação em uma
das lojas do ovário, ou quando há aborto em uma delas o óvulo
que resta, não encontrando resistência, se desenvolve ocupando
também a outra loja, tomando então a forma arredondada que é
conhecida no Brasil por Moca, a na América Central par Caracolito.

Havendo fecundação de dois Óvulos em uma só loja,
os grãos aí originados se desenvolverão atrofiados, originando
o conhecido Café Cabeça, ao qual se for separado dará uma
concha e um mal granado, que são defeitos para a classificação
de tipos.

No Coffea Arábica a autofecundação ocorre em aproximadamente
99% das flores e não tem sido notados efeitos desfavoráveis em
conseqüência das sucessivas autofecundações. As demais
espécies são auto-estéreis e de fecundação
cruzadas, a qual tem como principais agentes o vento, os insetos tendo muito
pouca influência a ação da gravidade.

GERMINAÇÃO

Para que se inicie a germinação de uma semente, há uma
exigência mínima de umidade e de temperatura. Em geral, as sementes,
quando secas, mantem-se em boas condições de conservação
quando com cerca de 11,5% de umidade (água de interposição).
Com o dobro dessa porcentagem o embrião começará a se desenvolver,
sendo então necessário uma quantidade de água proporcional
ao desenvolvimento do embrião. O tempo gasto pelo embrião para
se intumescer e adquirir vitalidade é muito variado. A semente do Coffea
Arábica despolpada depende, em condições normais, de 75
dias em média para atravessar todos os estágios de germinação
e tomar o aspecto que lhe confere o nome de “orelha de onça”.

Em geral as sementes de café “Limpo” levam 68 dias para atravessar
todas as fases da germinação, porém as mudas obtidas são
geralmente degeneradas.

O café em coco exige um tempo bem maior, chegando, às vezes a
ultrapassar 5 meses. Apesar das sementes quando bem tratadas apresentarem seu
poder germinativo em boas condições por mais de um ano, é
aconselhável não guardá-las durante muito tempo, mas, se
não houver outro meio é aconselhável fazer-se um prévio
ensaio germinativo.

Os frutos dos ponteiros, em geral, são pobres na quase totalidade dos
elementos constitutivos de grão e, por esta razão, não
germinam ou ,quando germinam, dão mudas degeneradas.

One thought on “Morfologia do Cafeeiro Arábico

  • 21/05/2018 at 5:12 pm
    Permalink

    Quero conhecer sobre Café sombreado.

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *