Molion alerta para reflexos do La Niña no Sul de Minas Gerais em momento de alta demanda da indústria

Imprimir

Para o climatologista Luiz Carlos Molion, com a ocorrência do La Niña – diminuição da temperatura da superfície das águas do Oceano Pacífico Tropical Central e Oriental –, os cafeicultores devem ficar atentos, pois há previsão de baixo volume de chuvas no Sul de Minas Gerais, maior região produtora de café do Brasil, nos últimos meses desse ano e em 2018. O fenômeno pode gerar mudanças no clima brasileiro até março ou abril de 2019. O Rio Grande do Sul também deve ter baixos volumes de chuvas.

Veja o depoimento do climatologista Luiz Carlos Molion:

Em meio aos problemas climáticos, o consumo de café continua crescendo no Brasil e fora dele, com aumento na demanda por cafés de melhor qualidade, segundo o diretor executivo da ABIC (Associação Brasileira da Indústria de Café), Nathan Herszkowicz. Afetada pelo clima, a safra 2017/18 de café do Brasil está estimada pela Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) entre arábica e conilon em 44,77 milhões de sacas de 60 kg. Já para o próximo ano, as previsões eram otimistas, de até 60 milhões de sacas, mas poucos ainda acreditam nisso.

Veja o depoimento do diretor executivo da ABIC Nathan Herszkowicz:

Fonte: Noticias Agrícolas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *