Ministério da Agricultura lista oito pragas que terão o combate priorizado

Imprimir

O Departamento de Sanidade Vegetal do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) publicou na edição de hoje, dia 24, do Diário Oficial da União (DOU), uma lista com oito pragas consideradas de maior risco fitossanitário para as principais culturas agrícolas do país.

A portaria define que elas terão prioridade nos processos de registro de produtos e tecnologias de controle.

As pragas destacadas pelo Departamento são:

• Ferrugem da soja (Phakopsora pachyrhizie) – também chamada de ferrugem asiática, o fungo é um dos principais problemas fitossanitários da soja, reduzindo a produtividade através da desfolha precoce da planta;

• Mofo Branco (Sclerotinia sclerotiorum) – mofo que tem como hospedeiro mais de 400 espécies de cerca de 200 gêneros botânicos, como soja, feijão e algodão. Ele gera lesões encharcadas nas folhas ou qualquer outro tecido da parte aérea da planta. Nos tecidos infectados, surge uma eflorescência branca que lembra algodão, constituindo os sinais característicos da doença. Em poucos dias, o micélio transforma-se em uma massa negra e rígida;

• Helicoverpa armigera – lagarta que ataca várias espécies de interesse econômico, ela tem alta capacidade de reprodução e sobrevivência, além de resistir a inseticidas e se adaptar a diferentes ambientes. Ela ataca as estruturas reprodutivas das plantas. Na soja, ela se posiciona nas flores e vagens da soja e se multiplica muito rapidamente;

• Mosca Branca (Bemisia tabaci) – os insetos (adultos e ninfas) sugam a seiva, alterando o desenvolvimento vegetativo e reprodutivo da planta, que levam ela a murchar e perder folhas e frutos. A produtividade pode recuar 50%;

• Nematoides (Meloidogyne javanica, Meloidogyne incognita, Heterodera glycines e Pratylenchus brachyurus) – praga que prejudica as plantas pela ação sobre o sistema radicular, afetando a absorção e circulação de nutrientes, alterando a fisiologia da planta. Esses organismos também podem predispor a planta a doenças e a estresses ambientais ou atuarem como transmissores de outros patógenos;

• Broca do Café (Hypothenemus hampei) – besouro que perfura os frutos do café, onde deposita seus ovos. Quando estes eclodem, as larvas se alimentam das sementes, destruindo o fruto ou danificando-o significativamente;

• Bicudo do algodoeiro (Antonomus grandis) – praga capaz de destruir até 70% de uma lavoura, o besouro deposita seus ovos dentro dos botões florais e maçãs do algodão,  que servem de alimento às larvas. O ciclo de vida de ovo a adulto é completo em cerca de 20 dias e podem ocorrer de quatro a seis gerações do besouro durante uma safra;

• Ervas daninhas resistentes (Conyza bonariensis e Digitaria insularis) – plantas que nascem espontaneamente nas lavouras, resistentes a agroquímicos e com potencial de atrapalhar a produção. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *