Mineira Kapeh vai franquear marca

Imprimir
Depois de dois anos em teste, a loja conceito da Kapeh, instalada em Varginha (Sul de Minas), que reúne cafeteria e loja de cosméticos baseados no café na mesma operação, se transforma em um modelo de franquia, unindo os cuidados com a beleza ao universo de aromas e sabores do café com o intuito de os clientes desfrutarem uma experiência sinestésica.

De acordo com a farmacêutica e fundadora da Kapeh, Vanessa Vilela, o objetivo é que ao longo do próximo ano sejam abertas entre cinco e 10 operações na região Sudeste, entre capitais e grandes cidades do interior, com mais de 500 mil habitantes. “Seguimos o nosso planejamento. A proposta era deixar tudo bem redondo para oferecer o modelo ao mercado. Já temos uma lista de interessados e agora vamos começar o processo de seleção. Existe muita sinergia entre as duas operações, é uma proposta inovadora. O café atrai as pessoas e queremos oferecer uma experiência, um aprendizado e não apenas um momento de consumo”, explica Vanessa Vilela.

O investimento médio projetado é de R$ 490 mil (fora o ponto) para a abertura de uma loja em shopping center. Já no ano que vem deverão ser lançados formatos mais compactos. Para desenvolver o modelo a marca investiu cerca de R$ 1 milhão. Para essa operação foi criado um ambiente de vivência do café em todas as suas qualidades, agora também na xícara, utilizando cafés especias, como nota acima de 80.

“As duas operações têm uma grande sinergia sob uma mesma estrutura de custos. O modelo conversa bem com os shopping centers, mas podemos ter unidades de rua também. A expectativa é ter a primeira unidade aberta em Belo Horizonte ainda no primeiro semestre de 2019”, anuncia a CEO da Kapeh.

A entrada da Kapeh no franchising também está assentada sobre os bons números do setor como um todo e especialmente do segmento de “Saúde, beleza e bem-estar”. Segundo dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF), no segundo trimestre de 2018, as franquias no Brasil faturaram 5,1% a mais em relação aos três primeiros meses do ano anterior. O setor alcançou a marca de R$ 40,7 bilhões, contra R$ 37,5 bilhões no mesmo intervalo em 2017. No segmento, o crescimento foi ainda maior, de 8,9%, passando de R$ 7 bilhões para R$ 7,7 bilhões.

Com mais de 140 itens no portfólio, a empresa que já ganhou o Prêmio José Costa, promovido pelo DIÁRIO DO COMÉRCIO, em 2011, segue a trilha da inovação. Sem antecipar detalhes, diz apenas que mais dois produtos na linha de tratamento facial serão lançados logo no início do próximo ano.
Apesar dos constantes questionamentos sobre uma possível saída da sede da empresa de Três Pontas – também no Sul de Minas -, para São Paulo, a resposta negativa é taxativa.

“A Kapeh não é só uma linha de produtos, existe uma essência, muita história por trás. Nossa raiz está aqui, uma produção que vem de gerações. Por isso, pra nós, é tão importante ter lojas exclusivas – sejam próprias ou franqueadas – que nos permitem contar a nossa história”, completa a farmacêutica.

Fonte: Diário do Comércio (Por Daniela Maciel e foto de Cezar Kirizawa/Divulgação)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *