Minas perde receita com embarques de café

Imprimir

Os dados divulgados pelo Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic), em relação às exportações do agronegócio de Minas Gerais, ao longo dos primeiros 10 meses de 2015, mostram que as exportações de café, principal produto da pauta, perderam fôlego no período. Somente em faturamento com a comercialização do grão foi verificada queda de 7,95%, com a movimentação de US$ 3 bilhões. O desempenho de outros importantes produtos, como carnes suína e bovina, encerraram o período com queda nos embarques.

A redução de 7,95% do faturamento com os embarques de café, US$ 3 bilhões, teve como influência a queda de 5,24% no volume do produto destinado ao mercado internacional. Ao todo foram exportadas 993,8 mil toneladas de café, frente ao montante de 1,04 milhão de toneladas embarcadas em igual período do ano anterior.

O preço pago pela tonelada de café em grão também ficou menor no acumulado do ano até outubro. Enquanto em igual período de 2014 o volume estava avaliado em US$ 3,14 mil, em 2015 foi negociado a US$ 3 mil, queda de 4,45%.

Outros importantes produtos que encerraram o período com retração foram as carnes suína e bovina. No caso da suína, houve redução de 86,73% no faturamento, que somou US$ 16,2 milhões, frente aos US$ 122 milhões faturados em igual período de 2014. Em volume, a queda foi de 78,7%, com o embarque de 6,5 mil toneladas, frente às 29,8 mil toneladas exportadas anteriormente.

Os embarques de carne bovina somaram no acumulado do ano 70 mil toneladas, queda de 6% quando comparado com o volume de 66,8 mil toneladas embarcadas em igual período anterior. Com a redução no volume, o faturamento ficou 8,58% menor, encerrando o período em US$ 298,6 milhões, ante os US$ 326,1 milhões faturados anteriormente.

No grupo das carnes, somente a de frango encerrou os primeiros 10 meses do ano com resultado positivo. No período, o setor movimentou US$ 188 milhões com os embarques, aumento de 4,89%. Ao todo foram destinados ao mercado internacional 116,6 mil toneladas do produto, variação positiva de 8,41%.

Câmbio – Com o real desvalorizado em relação ao dólar, alguns itens da pauta exportadora, como milho, soja e lácteos, estão mais competitivos, o que vem estimulando as exportações. O maior incremento foi verificado nos embarques de milho em grão. De acordo com dados do Mdic, entre janeiro e outubro a elevação em faturamento com a negociação do cereal chegou a 1.133%, somando US$ 37,1 milhões. Os embarques já somam 222,3 mil toneladas, volume 1.485% maior.

No caso do leite em pó, o faturamento ficou 15,91% maior, encerrando o período em US$ 108,7 milhões. O volume embarcado cresceu 9,3%, com o envio de 18,8 mil toneladas. O preço pago pela tonelada valorizou 5,87%, com volume negociado a US$ 5,77 mil no acumulado de 2015.

A receita gerada com os embarques mineiros de soja em grão e triturada está 5,54% superiores, somando US$ 760 milhões. Os embarques já atingem 1,95 milhão de toneladas, alta de 35,7%.

Fonte: Diário do Comércio (Michelle Valverde)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *