Minas, maior produtor de café, sediará dois importantes eventos do setor neste semestre

Imprimir

Pesquisas para melhorar a qualidade do democrático "cafezinho" presente no dia a dia dos brasileiros são realizadas há mais de 40 anos pela Epamig (Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais). Os estudos vão desde o preparo do solo, variedades adaptadas até a pós-colheita, que vai influenciar no sabor da bebida na xícara.

"A Epamig é uma das empresas pioneiras no país em pesquisas de café. Os estudos desenvolvidos foram fundamentais para a tecnificação das lavouras e melhoria na qualidade de vida dos cafeicultores, além do aumento da produtividade. Em mais de quatro décadas a média de produção aumentou de 11 para 23 sacas por hectare”, afirma o coordenador do Programa Estadual de Cafeicultura da Epamig, pesquisador César Botelho.

O Programa de Melhoramento Genético do Café, que integram Epamig e outras instituições de pesquisas, registrou 15 cultivares de café adaptadas às condições de clima e solo do estado e estão em desenvolvimento outros novos materiais para atender a cafeicultura mineira. Estudos de melhoramento genético do cafeeiro na Epamig começaram na década de 70, após a ferrugem, principal doença do cafeeiro, ser constatada nas lavouras brasileiras. Essa doença ocorre endemicamente em quase todas as regiões cafeeiras do mundo.

A Epamig publicou diversos estudos e resultados de pesquisas em cafeicultura e que estão disponíveis para download gratuito em www.epamig.br ou podem ser adquiridos pelo sitewww.informeagropecuario.com.br. 

Do Sul ao Cerrado Mineiro

Ainda nesse primeiro semestre, a Epamig irá sediar dois importantes eventos tecnológicos da cafeicultura, sendo o primeiro o Encontro de Inovação e Tecnologia para a cafeicultura do Cerrado Mineiro, em Patrocínio (Alto Paranaíba), no dia 19 de maio e a Expocafé, maior feira nacional do agronegócio café, entre 8 e 10 de junho, em Três Pontas (Sul de Minas).

No Encontro, realizado pela Federação dos Cafeicultores do Cerrado em parceira com a Fundaccer (Fundação de Desenvolvimento do Cerrado Mineiro) e a Epamig, o intuito é contribuir no desenvolvimento da Região do Cerrado Mineiro, através da integração da pesquisa e do setor produtivo. O foco desse primeiro Encontro é qualidade e material genético do café.

A programação atenderá do pequeno ao grande produtor: serão quatro estações de campo, três minicursos, além de um painel realizado com a presença de grandes nomes da cafeicultura, colocando os vários elos do café juntos para tratar da “Importância da Qualidade para a Sustentabilidade do Agronegócio Café”. De acordo com o pesquisador da Epamig Gladyston Carvalho, serão apresentados novos materiais genéticos com potencial para o Cerrado Mineiro. "No Banco de Germoplasma de Café, os participantes poderão conhecer os materiais que deram origem ao café mais cultivado no cerrado mineiro, o catuaí, além de vários outros materiais genéticos promissores", conta.

Já na Expocafé, a programação inclui feira com exposição de produtos e serviços focados na transferência de tecnologias para o setor (maquinário em geral, secadores, tratores, roçadeiras, adubadeiras, plantadeiras, podadeiras, derriçadeiras, entre outros); dinâmicas de campo que oferecem aos visitantes a oportunidade de acompanhar o funcionamento de máquinas e implementos; e cursos e palestras.

SERVIÇO

Encontro de Inovação e Tecnologia para a Cafeicultura do Cerrado Mineiro
19 de maio de 2016
Local: Campo Experimental da Epamig em Patrocínio – MG
Horário: de 8h30 às 16h30
Programação completa: www.epamig.br ou www.cerradomineiro.org/diadecampo
Informações: (34) 3831-2096

Expocafé 2016
8 a 10 de junho de 2016
Local: Campo Experimental da Epamig em Três Pontas – Rodovia MG 167 – km 6 – Três Pontas (MG)
Horário: de 8h às 18h
Informações: (31) 3489-5057

Fonte: Agência Minas via Sistema FAEMG

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *