MG: Procafé divulga alertas para Patrocínio, Araxá e Araguari

Imprimir

Praticamente não ocorreram precipitações durante o mês de maio nas regiões de Patrocínio, Araxá e Araguari. Desta forma, os armazenamentos de água no solo reduziram significativamente, já com registro de déficit hídrico em Araxá. Nas lavouras irrigadas deve-se fornecer lâmina suficiente para elevar o armazenamento do solo a 50 mm. Em lavouras que já apresentaram estresse hídrico deve-se ter cuidado para não induzir florada mediante irrigação. O retorno das irrigações deverá ocorrer somente no meio de setembro por ocasião da primeira floração.

Os índices de ferrugem nas lavouras sem controle amostradas apresentaram média geral de 46,5 % de folhas infectadas, semelhante ao mês anterior. Conforme constatado em anos anteriores, os fungicidas aplicados em fevereiro/março reduzem o efeito de controle ao longo do tempo, podendo ocorre uma esporulação tardia da doença. Sendo assim, ainda é recomendado o monitoramento e controle com fungicidas foliares curativos, que também tenha ação sobre a cercóspora e phoma, principalmente em lavouras com potencial de carga para 2012.

O controle da broca encontra-se limitado diante do período de colheita.

Os índices de folhas com larvas vivas de bicho mineiro encontram-se em nível de dano para as regiões. Deve-se efetuar o monitoramento, principalmente em lavouras novas e controle com inseticidas específicos quando os índices de folhas com larvas vivas ultrapassar os 5%.

A infecção elevada de phoma nos talhões de Araxá e Araguari sugerem monitoramento, principalmente em lavouras esqueletadas e com potencial de safra para 2012. Se necessário, o controle deve ser efetuado com fungicidas específicos.

Apesar de ter sido constatado somente nos talhões de Araxá e Araguari, o monitoramento do Ácaro Vermelho deve ser realizado em todas as regiões devido as características de ocorrência localizada e as condições climáticas favoráveis a sua proliferação. O controle químico deve ser efetuado observando o intervalo de aplicação e colheita, ou então, após a mesma.

Diante da proximidade do período de colheita, verificar os intervalos de segurança na bula dos fungicidas e inseticidas, de modo a assegurar os limites residuais nos frutos. As informações são do Procafé, resumidas e adaptadas pela Equipe CaféPoint.

Fonte: CaféPoint

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *