México usa estratégia para resgate das zonas cafeeiras

Imprimir

A vulnerabilidade a que estão expostas as zonas cafeeiras do México, particularmente da Sierra Madre de Chiapas, pelos efeitos da mudança climática, entre outros, aceleraram a preocupação de oito órgãos internacionais, nacionais e estatais para deter os efeitos que não são nada agradáveis.

Nessa semana, cerca de cinquenta agrupações sociais assistiram a apresentação da Estratégia do Setor Cafeeiro para a Adaptação, Mitigação e Redução da Vulnerabilidade diante da Mudança Climática na Sierra Madre de Chiapas, presidida pela secretária de meio-ambiente, Lourdes López Moreno. A estratégia significa reduzir a vulnerabilidade, o fortalecimento das capacidades de adaptação e mitigação da mudança climática nas zonas cafeeiras de Chiapas, especificamente na Sierra Madre; desenvolvimento sustentável, recuperação e conservação dos ecossistemas naturais e qualidade de vida humana.

Isso porque os prognósticos estão cada vez mais preocupantes. A temperatura atual na zona cafeeira de Sierra Madre de Chiapas, se nada for feito, aumentará de 2,1 para 2,2 em um período de 30 anos. De acordo com estudos, a precipitação pluvial se reduzirá em 80 a 85 milímetros, ou seja, cada vez choverá menos. Isso significa que, de um universo de 265 mil hectares de áreas ótimas para cultivar café arábica, poderia sobrar somente 60.500 hectares. Isso se traduz em muito mais pobreza, menos oportunidades e aumento dos gases de efeito estufa.

Uma parte do evento consistiu no anúncio do Colégio Nacional de Educação Profissional Tecnica (Conalep), sobre a instauração da Escola de Café no mês de agosto no município de Motozintla, para impulsionar a capacitação não somente de jovens estudantes mediante duas carreiras técnicas, mas também, aos produtores e processadores do grão.

Trata-se da primeira instituição desse tipo no país e terá as carreiras de assistente técnico na produção de café e assistente técnico em meio-ambiente e café, junto com programas de capacitação para pequenos, médios e grandes produtores, para melhorar seus processos. A reportagem é do http://chiapashoy.com, traduzida e adaptada pela Equipe CaféPoint.

Fonte: CaféPoint 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *