Mercado se sustenta na oferta baixa e ICE fecha com fortes ganhos

Imprimir

Os contratos futuros de café arábica negociados na ICE Futures US encerraram esta sexta-feira com altas incisivas, que permitiram fazer com que o dezembro flutuasse novamente no nível de 200 centavos de dólar por tonelada, apesar de não ter havido o rompimento da resistência de 205,00 centavos.

De acordo com analistas internacionais, o mercado surpreende até os levantamentos gráficos, que indicavam a possibilidade de uma nova desaceleração dos preços e uma tentativa do dezembro de flutuar na proximidade do nível de 193,00 ou 192,00 centavos de dólar por libra.

Os estoques globais podem ficar mais apertados por conta da estimativa de um grupo exportador indiano sobre um atraso na colheita em decorrência do excesso de chuvas. Além disso, uma associação de indústrias no Vietnã afirmou que a produção poderá ser reduzida, o que pode impulsionar os preços.

A colheita na Índia pode começar no meio de novembro, cerca de três semanas de atraso em relação ao normal, disse o presidente da Associação dos Exportadores de Café da Índia, Ramesh Rajah.

Paralelamente, Nguyen Van An, membro da Associação de Café e Cacau do Vietnã afirmou que a produção no país deve cair para 1,1 milhão de toneladas com um recuo de 3% na safra 2010/2011.

Um operador sustentou que essas previsões podem estender o rally de preços no arábica, que esta semana atingiram a máxima de 13 anos, e no robusta, que alcançou o maior patamar de preços em dois anos. A alta dos preços que foi vista nos últimos dias é resultado de preocupações quanto ao clima desfavorável na América do Sul e no Vietnã. Os atrasos no Porto de Santos, que apertaram os estoques, também contribuíram para o avanço das cotações.

No encerramento do dia, o dezembro registrou alta de 685 pontos, com a libra a 203,45 centavos, sendo a máxima em 204,00 e a mínima em 197,05 centavos por libra, com o março tendo oscilação positiva de 675 pontos, com a libra a 205,35 centavos, sendo a máxima em 205,75 e a mínima em 198,30 centavos por libra.

Na Euronext/Liffe, em Londres, a posição novembro teve alta de 83 dólares, com 1.965 dólares por tonelada, ao passo que o janeiro registrou valorização de 56 dólares, com 1.970 dólares por tonelada.

Os analistas ressaltaram que o mercado continua francamente focado em duas frentes, ou seja, o clima e também a questão da oferta, que agita o mercado há alguns meses. "Não há mágica em um mercado.

Ou se tem disponibilidade ou não se tem. Por mais que estabeleçamos correlações, no atual momento a oferta é fraca e as notícias vindas dos países produtores indicam que esse cenário não vai ser modificado do dia para a noite.

Com isso, os operadores estão no lado comprador e sustentam esses ganhos muito interessantes do mercado de café", disse um trader. Um operador destacou que os players trabalham em cima de informações de que Colômbia e o Vietnã enfrentam fortes chuvas e revisaram para baixo suas previsões de produção, enquanto as estimativas de consumo continuam em alta.

Além disso, esses players estariam preocupados com possíveis problemas no Brasil relacionados aos portos, o que provocaria alguns atrasos nas remessas internacionais do grão. As exportações de café do Vietnã em outubro deverão ter alta de 27%, em relação ao mesmo mês do ano passado, com as receitas experimentando aumento de 49,4 %, indicou o Escritório Geral de Estatísticas.

A entidade apontou que as remessas internacionais deverão atingir 70 mil toneladas métricas, ou 1,17 milhão de sacas, com uma receita de 118 milhões de dólares. Em outubro do ano passado, o Vietnã exportou 55 mil toneladas. A produção mundial de café na safra 2010/2011 deverá ficar entre 133 milhões de sacas e 135 milhões de sacas, de acordo com estimativa da Organização Mundial do Café.

O volume é o mesmo da projeção anterior e a entidade informou que espera que os preços permaneçam "relativamente altos" no curto e médio prazo. As exportações de café do Brasil em outubro, até o dia 28 somaram 2.648.908 sacas, contra 1.885.797 sacas registradas no mesmo período de setembro, informou o Cecafé (Conselho dos Exportadores de Café do Brasil). Os estoques certificados de café na bolsa de Nova Iorque tiveram queda de 2.791 sacas, indo a 1.819.055.

O volume negociado no dia na ICE Futures US foi estimado em 20.123 lotes, com as opções tendo 5.063 calls e 2.691 puts. Tecnicamente, o dezembro na ICE Futures US tem uma resistência em 204,00, 204,25, 204,50, 204,90-205,00, 205,50, 206,00 e 206,50 centavos de dólar por libra peso, com o suporte em 197,05-197,00, 196,50, 196,10-196,00, 195,50, 195,00, 194,50, 194,00 e 193,50 centavos por libra.

Fonte: AgnoCafe

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *