Mercado de café sólido sustenta cotações

Imprimir

Apesar das preocupações com o cenário econômico nos EUA e na zona do euro, o mercado de café se mantém firme. Os preços se afastaram das máximas de maio, mas ainda são bons.

Segundo o Cepea, a maioria dos produtores tem investido nas lavouras. A iniciativa é importante para garantir a quantidade e a qualidade dos grãos na safra 2012/2013 – ciclo de elevada produção – e para minimizar os efeitos das geadas de julho e agosto. Apesar de não haver prejuízos imediatos, o frio pode prejudicar a florada e a vegetação dos cafezais na próxima temporada.

A relação de oferta apertada em relação à demanda deu tom altista para as cotações futuras de café na Bolsa de Nova York, provando que o mercado é sólido e que as questões macroeconômicas não atingiram os preços para o cafeicultor.

Quanto às exportações, a Organização Internacional do Café (OIC) projetou embarques de 8,75 milhões de sacas de 60 quilos em junho. O volume é 9,21% superior ao mesmo mês de 2010.0 líder de vendas no período foi o Brasil, com 2,65 milhões de sacas.

Com menos estoques, grão segue em alta

Os preços da soja continuam firmes no Brasil, sustentados pelos prêmios de exportação, pelos baixos estoques e pela demanda externa.

As atenções seguem voltadas ao desenvolvimento da safra americana, às notícias sobre a desaceleração da economia mundial e ao adiamento das compras de soja pela China para o último trimestre do ano. Assim, as negociações estão lentas nos mercados interno e externo.

O preço do farelo de soja subiu 1,3% em agosto, terceiro mês consecutivo de alta. Segundo a Scot Consultoria, a tonelada está em R$ 650 em São Paulo. O farelo mais em conta, somado ao preço da arroba do boi gordo 11% maior, na comparação com agosto de 2010, fez a relação de troca melhorar para o pecuarista. Na praça de São Paulo, atualmente são necessárias 6,5 arrobas de boi gordo para a compra de uma tonelada de farelo. Em agosto do ano passado, era necessária uma arroba a mais.

O Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (Usda) cortou a previsão para a safra ame ricana em 2011/2012, que deve ficar em 83,1 milhões de toneladas – foram 90,6 milhões de toneladas na colheita anterior.Os estoques finais mundiais também serão quase 11% inferiores aos do ciclo 2011/2012. Por esses fatores, a expectativa é que o mercado de grãos, principalmente o de soja e milho, permaneça firme no longo prazo, segundo a Scot.

Fonte: Globo Rural

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *