Mercado de arábica deve ter pequeno déficit, diz banco

Imprimir

O banco de investimentos norte-americano Goldman Sachs projetou nesta segunda-feira (14/1) que o mercado de café arábica registrará um déficit pequeno ou permanecerá equilibrado no ano safra 2013/2014. A instituição alertou que o clima seco no Nordeste do Brasil e doenças e pestes na América Central podem prejudicar os níveis de produção.

Segundo o banco, os preços do arábica tiveram fortes quedas no ano passado porque o mercado voltou a ter excedente após uma safra recorde do Brasil. "Embora 2013/2014 deva ser um ano de baixa produtividade no ciclo bianual brasileiro, a primeira estimativa da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) aponta para uma safra volumosa na temporada fraca por causa das condições climáticas favoráveis e dos investimentos na produção", afirmou o banco. O Brasil, maior produtor mundial de café, deve colher em 2013 uma safra perto do recorde, de acordo com a Conab.

Devido aos baixos níveis de estoque, o Goldman Sachs disse ver perspectiva limitada de nova desvalorização dos preços por ora. O banco espera ainda que as cotações do café sigam presas em um intervalo restrito no curto prazo antes de apresentar modesta recuperação este ano. A instituição prevê que os preços do arábica em 3, 6 e 12 meses devem ficar em média em 155 cents por libra-peso, 165 cents por libra-peso e 175 cents por libra-peso, respectivamente.

Entretanto, o Goldman Sachs alertou que o saldo vendido por parte de especuladores está perto de um patamar recorde. Isso pode exacerbar possíveis ganhos despertados por questões climáticas e fazer com que os preços subam acima das projeções atuais.

Fonte: Agência Estado

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *