Melhores cafés da Abic chegam ao consumidor

Imprimir
A Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic) lançou, na terça-feira (24/4), a 14ª Edição Especial dos Melhores Cafés do Brasil, a última etapa do 14º Concurso Nacional Abic de Qualidade do Café. Nesta fase do concurso, os cafés premiados, que foram conhecidos em janeiro, chegarão até o consumidor. Após o processo seletivo, realizado em dezembro, ocorreu um leilão entre os dias 30 de janeiro e 8 de fevereiro. Nele, 40 sacas dos 11 finalistas do concurso foram vendidos para torrefações e cafeterias, que produzirão cafés especiais.

O café campeão do 14º Concurso foi o produzido por Letícia Conceição Quintela de Alcântara, da Fazenda Divina Espírito Santo, de Piatã, na Bahia. Ao receber a premiação, a produtora de 19 anos agradeceu seu pai, Michael, também produtor, pela influência e motivação. “Como cresci na fazenda, desde criança estou envolvida com o café. Foi algo que ele sempre apoiou”, contou. Ela também garantiu que o prêmio é apenas o começo na sua carreira como cafeicultora.

O concurso premia, também, as empresas participantes, que compram os cafés. Ao adquirir duas sacas do café de Letícia por R$ 9 mil cada uma, o Grupo 3 Corações foi a empresa que deu o maior lance por um microlote. Com isso, foi campeã da categoria Especial do concurso.

Mas a empresa também ganhou as outras duas categorias, a Diamante e a Ouro. A primeira, pelo maior investimento: no total, a 3 Corações comprou R$ 33 mil em cafés premiados. E a Ouro, pelo maior valor pago por saca, ao comprar seis sacas do produtor Antônio Rigno de Oliveira, também de Piatã, pagando R$ 2,5 mil por cada uma.

Além da 3 Corações, outras 13 torrefações e cafeterias também compraram cafés premiados e participarão da linha especial que estará disponível para os consumidores. Cada empresa terá sua própria embalagem e tipo de preparo (coado, expresso ou cápsulas). A Abic tornará disponível um selo informativo sobre a participação do produto no concurso. Segundo a associação, os cafés poderão ser encontrados nas redes de supermercados, cafeterias e também em lojas virtuais. As empresas definirão as datas dos lançamentos.

Confira, ao final da matéria, a lista de empresas participantes.

Critérios
Para a Abic, o concurso não só incentiva a produção de café de qualidade como também o divulga e o faz chegar até o consumidor. Ricardo Silveira, presidente da Associação, lembrou que a Abic busca, nesse processo, se aproximar dos pequenos produtores e microtorrefadoras.

No concurso, participam os cafés campeões estaduais de São Paulo, Paraná, Minas Gerais, Espírito Santo e Bahia. O processo seletivo acontece em três etapas. Ao final, as notas são somadas para se chegar ao grande campeão.

Na primeira, há uma avaliação técnica, feita por especialistas escolhidos pela Abic, que provam os cafés. O júri técnico corresponde por 70% da nota final.

A segunda trata da sustentabilidade da fazenda produtora. O cafeicultor pode apresentar um certificado ou receber uma visita de um agrônomo para análise. Essa etapa corresponde a 15% da nota.

A última é o júri popular. Os cafés finalistas são provados por consumidores comuns, que não têm especialização em relação ao café, mas gostam e consomem a bebida. Este ano, foram 70 participantes. Esta etapa vale 15% na nota final.

Confira as outras empresas que também compraram os cafés premiados:

– Armazém do Café
– Café Monte Líbano
– Café Cajubá
– Café Rancheiro
– Barisly Café
– BonBlend Café
– GrãoCafé.com
– Santo Grão
– Hachimitsu
– Café com História
– Prelúdio Cafés Especiais
– Villa Januária
– Dengo Cacau e Café

Fonte: Revista Globo Rural (Por Nelson Niero Neto, com Vinicius Galera) e foto Divulgação Abic

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *