Mecanização e tecnologias para cafés especiais despontam como tendência para o setor

Imprimir

Na Expocafé 2016, cafeicultores buscaram novas tecnologias para produção, além de maquinários que visam sustentabilidade da atividade

Maior estado produtor de café do mundo, Minas Gerais sedia também a maior feira nacional do agronegócio café, a Expocafé, que este ano apresentou diversas tecnologias com enfoque na produção de cafés especiais e na sustentabilidade da cafeicultura nacional. Entre os dias 8 e 10 de junho, os visitantes conferiram as novidades do plantio à pós-colheita do café, no Campo Experimental da EPAMIG em Três Pontas, no Sul de Minas.

O coordenador de negócios da Feira, Antônio Fernando Nunes, aponta o diferencial da Expocafé. “É a única feira do setor que tem um espaço exclusivo, o pavilhão tecnológico, para as empresas do setor de software, insumos, embalagens que precisam de um local diferenciado para as negociações”, afirma. A Expocafé registrou visitantes de 16 estados brasileiros e também de países como Costa Rica, Guatemala, Colômbia, Chile, Espanha, Portugal e Japão.

O produtor Marlon de Matos (foto), de Bom Jesus da Penha (MG), veio interessado em comprar uma colhedeira que estava com desconto na feira. “A máquina será entregue em janeiro, portanto, já garanti a colheita mecanizada da minha próxima safra”, comemora o cafeicultor que pretende também alugar a máquina para os cafeicultores vizinhos.

De acordo com o diretor Técnico e Industrial da Cooperativa dos Cafeicultores da Zona de Três Pontas – Cocatrel, Jorge Nogueira, há uma mudança de cenário em função da falta de mão-de-obra que estimula a busca por mecanização e também pela demanda do mercado por cafés especiais. “A Cocatrel está apostando neste setor com investimento em laboratórios específicos para a produção de bebidas de qualidade”.

Esse novo momento da cafeicultura animou os visitantes e fez com que os negócios superassem a expectativa dos expositores. “Tivemos um volume de vendas maior que no ano passado, além dos diversos cadastros para atendimento futuro? comemora o presidente da Pinhalense, Reymar Coutinho, que participa desde a primeira edição da Expocafé. Esse ano eles lançaram um despolpador de café com zero consumo de água. “Recebemos clientes do Paraná que vieram, exclusivamente, para conhecer o lançamento e a feira”, afirma. Reymar conta que apesar de estarem presentes em 90 países, nos últimos quatros anos, todos os lançamentos da empresa foram realizados na Expocafé, por ser uma feira essencialmente do setor cafeeiro.

Os bons negócios também aconteceram no estande da Grimaldi, que comercializa equipamentos para transporte e pelo segundo ano consecutivo está na Expocafé. Segundo o representante em Minas Gerais, Fábio Augusto Sippert, em apenas um dia foram vendidos três conjuntos roll-on, com caçamba e plataforma. “São caminhões de maior valor e, além dessas unidades comercializadas, temos outras seis em negociação”, contabiliza.

A Husqvarna, que está todos os anos na feira, comemora o crescimento de cerca de 5% no volume de negócios. “Em momento difícil da economia, esse índice representa um bom crescimento”, avalia o consultor técnico Paulo Figueiredo. O maior responsável pelo bom desempenho da empresa este ano foi o trator LT 1597, que tem um movimentador de café no terreiro como acessório que pode ser retirado para a utilização do equipamento em outros serviços.

Pela primeira vez na Expocafé, os proprietários da 7 Estrelas, Jorge e Roseli Martins já garantiram estande para a próxima edição. A empresa trabalha com peças para reposição para máquinas de beneficiamento de café e secador, com venda posterior online “Além dos cerca de cem clientes que estiveram no estande, conquistamos outros cem novos compradores que não conheciam nosso trabalho. Vendemos até para um cliente da Costa Rica”, comemora o proprietário.

Fonte: Assessoria de Comunicação da EPAMIG

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *