Mecanização da colheita do café é tema de simpósio na EXPOCAFÉ 2010

Imprimir

O processo crescente e irreversível de mecanização da colheita do café será discutido durante o Simpósio de Cafeicultura Mecanizada que, pela primeira vez, integra a programação da EXPOCAFÉ, feira da cafeicultura realizada pela Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (EPAMIG), na Fazenda Experimental de Três Pontas, no Sul de Minas Gerais.

O assunto, que atualmente é um dos mais debatidos por cafeicultores, técnicos e pesquisadores da área, será tratado durante todo o evento que adotou como tema desta edição a “Mecanização e a mudança no processo produtivo”. A escolha, segundo os organizadores, foi motivada em função do momento difícil vivido pelos cafeicultores devido à falta de mão de obra para a colheita. “A oferta diminuiu muito nos últimos dez anos, culminando com um momento crítico em 2008, que tende a se repetir este ano, quando teremos uma safra alta”, explica o coordenador do Simpósio, Fábio Moreira da Silva, professor da Universidade Federal de Lavras (Ufla).

Segundo o coordenador, a falta de mão de obra é resultado do baixo número de pessoas na zona rural, que hoje é calculado em torno de 20% do total da população. “Não há contingente para a colheita de café do Sul de Minas”, observa, acrescentando que a situação ainda piora com o aumento dos preços cobrados pelos colhedores. “Dessa forma, não restou outra opção aos produtores a não ser a migração para a colheita mecanizada”, finaliza.

Para o Simpósio, foram convidados alguns dos profissionais mais bem conceituados em mecanização da lavoura cafeeira, que vão debater as técnicas disponíveis e apresentar resultados de trabalhos e pesquisas desenvolvidas sobre o tema. “O momento também servirá para trocar experiências de campo”, ressalta o professor Fábio Pereira.

O chefe do Centro de Pesquisa da Unidade Regional EPAMIG Sul de Minas Gladyston Carvalho, diz que a EXPOCAFÉ é o momento ideal para discussão do tema, pois reúne um público selecionado e já familiarizado com a mecanização da colheita. “Nossa intenção é reunir técnicos e consultores para um nivelamento de conhecimento”, diz. Gladyston Carvalho é também pesquisador em cafeicultura. Ele acredita que o simpósio será importante também para a identificação de novas demandas de pesquisa e de difusão de tecnologias, que poderão ser desenvolvidas pela EPAMIG.

As inscrições para o Simpósio estão abertas e custam R$40. Mais informações no site www.expocafe.com.br.

Fonte: EPAMIG

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *