MAPA cria estratégias digitais para ampliar vendas na feira da SCAA

Imprimir

A 23 Exposição Anual da Associação de Cafés Especiais da América (SCAA, sigla em inglês) terá o Brasil como país tema novamente, depois de 11 anos. Para ajudar os produtores a divulgarem a diversidade e qualidade da produção nacional, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento investiu R$ 1 milhão na participação do evento e numa estratégia digital voltada para a feira, realizada de 29 de abril a 01 de maio em Houston (EUA). A expectativa é gerar contatos e oportunidades com potenciaiscompradores durante o evento.

O setor cafeeiro americano e mundial estará de olhos voltados para o Brasil. "Será um ambiente favorável para as regiões produtoras, associações e cafeicultores estabelecerem contatos e realizar negócios", afirma o diretor do Departamento do Café do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Robério Silva. "O governo apoia a iniciativa e incentiva com significativos recursos, mas o trabalho é feito na base, por todos aqueles que participam da cadeia produtiva da cafeicultura nacional", diz.

O Ministério da Agricultura aproveitou a feira para lançar a estratégia digital que pretende ajudar os produtores a fecharem negócios durante e após o evento. Para divulgar a qualidade dos cafés brasileiros no exterior, sem distinção de produtor, o ministério criou o hot site "Cafés do Brasil" que está disponível (em português, inglês e espanhol), no endereço eletrônico www.cafesdobrasil.com.br. A página traz informações sobre a Feira de Cafés Especiais, além de curiosidades e dados da produção brasileira,  como as regiões produtoras.

Outras ações de comunicação digital para reforçar a marca "Cafés do Brasil" também serão apresentadas durante o evento em Houston. O Ministério da Agricultura apresentará um aplicativo de IPAD (em português, espanhol e inglês), que mostra as características dos grãos de cada região produtora do país. 

A diretora-executiva da Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA, na sigla em inglês), Vanúsia Nogueira acredita que falta mostrar ao mundo a produção tão qualificada e diversificada. "Sou da opinião de que não é necessário muito dinheiro para fazer campanhas elaboradas. Precisamos de criatividade, o que temos de sobra, e de disposição para se expor mais no mercado", afirma. 

A participação brasileira no evento está sendo organizada pela BSCA, com apoio Ministério da Agricultura, Apex-Brasil, Sebrae e entidades do setor cafeeiro. 

Fonte: MAPA

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *