Maior produtora de café do país entra no setor de cosméticos

Imprimir

A Cooxupé, maior exportadora de café do Brasil, acaba de dar um passo para avançar em um setor completamente diferente do de commodities: o de cosméticos.

A cooperativa anunciou nesta terça-feira uma joint-venture com a química Aqia, que fornece insumos para empresas como Natura, Grupo Boticário, Unilever e Dow.

Pela parceria, a Cooxupé venderá óleo e biomassa extraídos do café verde à Aqia, que vai processar esses materiais e transformá-los em uma série de componentes que podem ser usados por indústrias de beleza, alimentos e farmacêutica.

O acordo, que levou um ano para ser firmado, deve alcançar um faturamento de 25 milhões de reais até 2020 – o que representa um crescimento de 20 a 30% nos negócios da Aqia, segundo a empresa.

Para a Cooxupé, em princípio, o negócio não traz um acréscimo significativo nos números. Por enquanto, serão entregues à sócia uma quantia de cem sacas de café por mês, que valem cerca de 50.000 reais. Mas a empresa mira o futuro.

“Cem sacas por mês não são nada (por dia, 50.000 são produzidas). A receita que isso vai gerar para nós ainda é muito pequena, mas nós acreditamos que esses produtos (feitos a partir de café) terão uma aceitação muito grande futuramente", diz Carlos Alberto Paulino da Costa, presidente da cooperativa.

"Na hora que descobrirem que a biomassa tem propriedades para emagrecer, melhorar estria… Haja café!", brincou o executivo.

Além da arrecadação com a venda de matéria prima, a Cooxupé receberá uma participação nas vendas dos produtos à base de café fabricados pela parceira.

"Depois de deduzidos os custos de cada companhia e os impostos, parte do resultado líquido será repassado à Cooxupé", diz Alaor P. Lino, presidente da Aqia.

O mercado estima que as participações na joint-venture sejam de aproximadamente 60% para a Aqia, 35% para a Cooxupé e 5% para Sônia Corazza, consultora da área cosmética que assessorou a parceria entre as duas empresas.

Lino não confirma, mas diz que "as participações são dessa ordem".

Nos últimos 18 anos, o setor de beleza cresceu 9,2% no Brasil, de acordo com a ABHPEC (Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos).

Os produtos
A joint-venture deu origem à linha Aqia Coffee, que já conta com 7 tipos de insumos. São cinco tipos de óleos e manteigas com propriedades hidratantes, antioxidantes e medicinais, segundo a empresa, e duas variedades de pó.

Eles são vendidos em embalagens de 5, 25 e 200 quilos. Um dos tipos de pó, inclusive, já foi utilizado na produção do protótipo “chococoffee”. Ele substitui parte do pó de cacau necessário para a fabricação do snack.

"No mundo todo, o consumo de chocolate está crescendo e a produção de cacau diminuindo. Usar o pó retirado da torta de café é uma alternativa para suprir a falta desse produto. A Aqia já conseguiu fazer chocolates com até 40% de torta de café", diz Costa.

Para a extração do óleo e biomassa são usados grãos dos melhores cafés da cooperativa.

Negociação
Há cinco anos, a Cooxupé realiza pesquisas sobre as propriedades do óleo extraído do café verde junto a universidades como Unesp e Unicamp.

Segundo a empresa, descobriu-se, por exemplo, que o ingrediente tem propriedades antioxidantes que previnem o envelhecimento.

Com o objetivo de vender esse insumo à indústria de cosméticos, a companhia inaugurou no ano passado uma fábrica para a extração do líquido. O investimento foi de 5 milhões de reais.

Foi então que a consultora Sônia Corazza apresentou as duas empresas.

"Aí mandamos o óleo e a torta (biomassa que sobra após a retirada do óleo) para a Aqia analisar. Ela acabou descobrindo que a torta era ainda mais valiosa que o óleo, que tinha mais componentes", conta Costa.

"Nós não sabíamos o que fazer com essa torta. Até procuramos algumas empresas que fazem ração para cachorro, mas não havia mercado", acrescenta.

Segundo ele, a parceria foi essencial para a entrada da companhia no novo ramo.

"Nós da cooperativa não temos tecnologia e nem canal de vendas para as indústrias de cosméticos, que é um mercado sofisticado. É preciso ter uma série de produtos para gerar escala suficiente", afirma.

Ele acredita ainda que a Aqia optou por fechar o negócio com a Cooxupé por uma questão de estrutura.

"Existem outras empresas pesquisando o óleo, mas a Aqia deu preferência pra nós devido ao tamanho e à seriedade da empresa, à qualidade do nosso produto e nossa capacidade de fornecer o quanto ela precisar", diz.

Empresas
A Cooxupé é a maior exportadora de café do país e é responsável por cerca de 3,5% de toda a produção mundial da commodity, enquanto a colheita total do Brasil corresponde à 32%.

Ela possui mais de 12.000 cooperados e 96,8% deles são mini e pequenos agricultores. No ano passado, faturou 2,5 bilhões de reais e exportou 3,2 milhões de sacas de café.

A Aqia Química Industrial fornece ingredientes para o mercado de cuidado e higiene pessoal e é parceira de empresas como AAK, Dow e Farma Service. Ela possui uma fábrica em Guarulhos e duas plantas parceiras no exterior, na França e na Suíça.

Assista abaixo entrevista com o presidente da Cooxupé, Carlos Alberto Paulino da Costa, para o Notícias Agrícolas.

Fonte: EXAME.com (Luísa Melo)

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *