Lavouras sofrem efeitos da estiagem mesmo com chuvas acima da média em agosto no Sul de MG

Imprimir

A estiagem dos últimos meses no Sul de Minas deixou efeitos nas lavouras de café da região. Mesmo com a chuva de volta no mês de agosto, com volumes acima da média, produtores trabalharam com o solo seco.

A chuva esperada para os meses de abril e maio não foi em quantidade suficiente nas principais regiões produtoras de café no Sul de Minas. A condição climática atípica pode interferir na produção de café em 2019.

Na região, o café já foi colhido em pelo menos 70% das lavouras. No entanto, a preocupação é com a situação da planta.

Lavouras sofrem efeitos da estiagem mesmo com chuvas acima da média em agosto no Sul de MG (Foto: Reprodução/EPTV)

“As folhas possuem reservas e elas que vão contribuir para o pegamento da florada e uma boa frutificação. E com o aumento dessa desfolha, devido ao período seco desde o ano passado, isso acaba prejudicando a produção futura”, explica o engenheiro agrônomo Rodrigo Paiva.

A chuva do início de agosto surpreendeu os produtores. Entre as quatro maiores cidades do Sul de Minas, Pouso Alegre teve o maior volume de chuva neste mês até o momento – foram 18,2 milímetros.

Em Varginha, o volume foi de 16,1 milímetros; Passos teve 12,6 e Poços de Caldas teve 11,2. A condição climática agora exige cuidado e atenção dos produtores para a próxima safra.

“Vamos acompanhar o clima a partir de setembro e outubro com o retorno das chuvas. Se regularizar, tende a amenizar parte desse déficit hídrico”.

Fonte: G1 Sul de Minas e EPTV Sul de Minas

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *