Lançamento de Livros resgata a importância do café na UFLA; Necaf celebra 20 anos

Imprimir

Localizada no centro geográfico da cafeicultura brasileira, a Universidade Federal de Lavras (UFLA) tornou-se referência nacional e internacional em pesquisas cafeeiras. Há mais de seis décadas, os estudos sobre a cultura do café têm como princípio o desenvolvimento de tecnologias para o fortalecimento da produção, com incentivo às práticas de sustentabilidade e à garantia de maior competitividade ao setor. Os resultados já consolidados contribuem para que a UFLA seja reconhecida como uma das mais atuantes instituições de ensino e pesquisa do País.

Parte desta memória está registrada no livro “Café na UFLA: Resgate Histórico”, com a edição dos professores Rubens José Guimarães e Antônio Nazareno Guimarães Mendes, e da mestranda Elisa Reis Guimarães. O livro conta com 23 colaboradores e recebe o selo da Editora UFLA.

Cerimônia de Lançamento de livros sobre café e celebração dos 20 anos do Necaf

A obra foi laçada em cerimônia especial na programação que celebra 107 anos da Universidade, juntamente com duas outras publicações que têm o café como tema. Polo de Excelência do Café – A inovação de uma trajetória, de autoria de Cibele Aguiar, Joel Yutaka Sugano, Nádia Carvalho e Sérgio Parreiras Pereira e, “Extensão Rural em Cafeicultura”, editado por Elisa Reis Guimarães, Marcos Antônio Fabri Júnior (Emater) e o professor Rubens Guimarães.

A cerimônia de lançamento foi marcada pelas homenagens prestadas aos atores que fizeram parte da trajetória do café na UFLA e aos membros e apoiadores do Núcleo de Estudos em Cafeicultura (Necaf). O evento teve a participação do reitor da UFLA, professor José Roberto Scolforo; da vice-reitora, professora Édila Vilela de Rezende Von Pinho, além de representes institucionais ligados ao ensino, pesquisa, extensão e inovação. Toda a cerimônia foi traduzida para a Língua Brasileira de Sinais (Libras).

Memórias de uma instituição de referência

A obra “Café na UFLA: Resgate Histórico” apresenta a trajetória da pesquisa cafeeira e os resultados que contribuíram para que a UFLA fosse reconhecida como uma das mais atuantes instituições de ensino e pesquisa no agronegócio do país. A UFLA é uma das instituições fundadoras do Consórcio Pesquisa Café, e a participação nesta rede atuante de pesquisa faz parte das memórias registradas no livro.

Os editores dessa obra procuraram reunir o conjunto de contribuições que fizeram e fazem a história do ensino, da pesquisa, da extensão e da prestação de serviços em cafeicultura na ESAL/UFLA, que certamente se confunde com a história centenária da Instituição e particularmente com o desenvolvimento da cafeicultura brasileira no século XX, em especial no estado de Minas Gerais.

Para o professor Rubens José Guimarães, um dos editores, a intenção é que a comunidade que participou e participa desta rica história (professores, pesquisadores, extensionistas, técnicos administrativos, funcionários, consultores, empresários, cafeicultores, instituições parceiras públicas e privadas, estudantes de graduação e de pós-graduação que passaram pela ESAL/UFLA), tenha o merecido reconhecimento e continue a inspirar as novas gerações no desenvolvimento de estudos promissores.

Incentivo à interação

O livro Polo de Excelência do Café – A inovação de uma trajetória traz um recorte no tempo para registrar a memória institucional do Polo de Excelência do Café, valorizando sua origem e servindo de alicerce para seu próprio fortalecimento. A obra é dividida em duas partes: a primeira apresenta a tradução da dissertação de Mestrado da jornalista Cibele Aguiar, defendida no Programa de Pós-Graduação em Administração da UFLA, para uma linguagem acessível a todos os públicos. A segunda parte traz uma síntese das principais notícias vinculadas no blog do Polo de Excelência do Café e que marcaram a sua história.

O livro ressalta a missão do Polo de Excelência do Café, criado para ser um ambiente de interação entre a academia, as empresas e os órgãos governamentais. Neste ambiente de interação, cada elo tem experimentado novos papéis e convivido com os desafios de participar de uma rede de inovação que agrega atores de diferentes segmentos. Para a eficiência deste sistema, destaca-se a importância de um agente articulador central para amparar a comunicação e a coordenação do espaço de conversação entre todos os atores.

Extensão Rural valorizada

O livro EMATER-MG: Extensão Rural em Cafeicultura, organizado por Elisa Reis Guimarães, Marcos Antônio Fabri Júnior e Rubens José Guimarães, consiste em um resgate histórico das ações de extensão rural em cafeicultura da empresa em parceria com a UFLA e outras instituições, das quais se destacam o Certifica Minas Café, Encontro Sul Mineiro de Cafeicultores, Circuito Mineiro de Cafeicultura e Concurso de Qualidade dos Cafés de Minas Gerais.

Foram resgatados dados sobre todas as edições destes eventos, incluindo número de participantes, principais temas abordados, vencedores do Concurso de Qualidade, preços dos cafés leiloados, número de amostras recebidas, dentre outros. O livro conta também com depoimentos de importantes atores da cafeicultura mineira e nacional e extensionistas aposentados da Emater-MG. A obra consiste em uma recuperação histórica das ações de extensão para a cafeicultura nacional, bem como numa ferramenta de gestão, uma vez que poderá auxiliar na tomada de decisões quanto a transferência de tecnologia pela Emater em Minas Gerais.

Uma rede chamada NECAF

Durante a cerimônia, também foi dado destaque aos 20 anos de atuação do Núcleo de Estudos em Cafeicultura (Necaf)

Durante a cerimônia, também foi dado destaque aos 20 anos de atuação do Núcleo de Estudos em Cafeicultura (Necaf), criado em 1995 para agregar uma rede de pessoas comprometidas com o desenvolvimento do setor.

Desde a fundação em 1995, foram registrados importantes ações de ensino, pesquisa e extensão, amparadas no nobre propósito de buscar alternativas para a sustentabilidade do sistema agroindustrial do café, por meio de estudos e projetos para dar suporte aos cafeicultores diante das dificuldades enfrentadas pelo setor.

O trabalho desenvolvido honra os estudos pioneiros da ESAL-UFLA nessa temática. Afinal, a história do Necaf se confunde com a consolidação das pesquisas com café na UFLA, tendo sido intensificadas por meio de parcerias estratégicas com tradicionais colaboradores, como a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas Gerais (Emater MG) e a Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig).

O Necaf foi criado para promover uma maior sinergia e a união de esforços em diferentes áreas do conhecimento, como uma iniciativa do professor Antônio Nazareno Guimarães Mendes, visionário de um futuro ainda mais promissor para a cafeicultura. “O grupo se consolidou como uma forte rede de colaboração, pesquisa e inovação, difusão e formação de profissionais especializados em cafeicultura. Não tenho dúvidas de que esse engajamento foi o propulsor de muitas conquistas para a Universidade”, considerou Nazareno durante seu pronunciamento na cerimônia.

Um dos primeiros colaboradores e tutor do núcleo desde a sua fundação até os dias de hoje é o professor Rubens José Guimarães. “São tantas as pessoas da UFLA envolvidas com o tema café que o resultado é uma rede ampla de contribuições. Uma rica mistura de departamentos, temáticas, estudantes, pesquisadores, instituições. Essa é a essência e o segredo desse sucesso”, concluiu.

Fonte: Ascom UFLA (Cibele Aguiar)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *