Ioci mostra que indústria de café não tem oferta regular do grão, diz Abic

Imprimir
O Índice de Oferta de Café para a Indústria (Ioci) atingiu 6,58 pontos no período entre 5 e 9 de dezembro, considerando a oferta de grãos arábica e conilon. O número corresponde a um suprimento seletivo, indicando que “as empresas, de todos os portes, não têm a oferta regular de café em grão, com o abastecimento sendo gradual e seletivo”, informa a Associação Brasileira da Indústria de Café (Abic), responsável pelo levantamento, divulgado nesta terça-feira, 13.

Considerando apenas o café conilon, o Ioci é de 5,29 pontos no período, indicando suprimento seletivo. Segundo a Abic, a oferta de conilon continua prejudicada e o índice é quase critico para a dificuldade com a quantidade. A Abic acrescenta que empresas reportam que não encontram vendedores para lotes de conilon de quantidade maior, restando somente lotes pequenos e que não suprem a indústria adequadamente.

Em contrapartida, a pesquisa mostra que 30% das empresas já desistiram do uso do conilon. Na semana anterior, este índice chegou a 60% de indústrias que desistiram do uso do conilon. A Abic já havia alertado que esta poderia ser uma consequência negativa, com os produtores perdendo mercados duramente conquistados nos últimos 20 anos. “A expectativa de safras menores em 2017 acentua a preocupação de se buscar uma solução imediata para esta crise de abastecimento”, conclui a Abic.

O Espírito Santo, principal Estado produtor de conilon, enfrentou forte estiagem nos últimos dois anos, o que provocou quebra de safra do produto. A perspectiva para 2017 não é das mais favoráveis, já que muitos cafezais ainda não conseguiram se recuperar do clima adverso.

Fonte: Estadão Conteúdo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *