Indonésia estima demanda recorde por café puxada por millennials

Imprimir
A paixão por cafeína entre millennials da Indonésia deve elevar a demanda doméstica por café para nível recorde e potencialmente reduzir a oferta global.

A demanda pelo produto pode aumentar quase 36% em relação ao ano anterior, para 5,3 milhões de sacas em 2019, disse Moelyono Soesilo, responsável por cafés especiais e indústria da Associação de Exportadores e Indústrias de Café da Indonésia. O volume representa cerca de metade da produção estimada do país, entre 11,5 milhões e 12 milhões de sacas.

O consumo de café na Indonésia mais do que dobrou na última década, com os estilos de vida em áreas urbanas concentrados cada vez mais em cafeterias e aumento do número de lojas em shopping centers, estações de transporte e complexos de escritórios.

Com mais de 90% da população muçulmana, o consumo de álcool não é incentivado, “portanto, os cafés são os locais de encontro dos jovens para se socializar”, disse Moelyono em entrevista por telefone.

A demanda por bebidas prontas e mais caras também cresceu nos últimos anos, levando a Indonésia, que é a terceira maior produtora mundial da variedade robusta, a estabelecer uma meta de elevar a produção de arábica para 40% da safra total em relação aos atuais 15%. O Departamento de Agricultura dos EUA estima a demanda por café na Indonésia em 4,9 milhões de sacas este ano.

Mudança de gostos

Moelyono diz que as companhias aéreas de baixo custo também ajudaram a diversificar as preferências. Os indonésios estão viajando mais e experimentando diferentes variedades de café. A Indonésia agora cultiva 21 variedades do grão, como Gayo, Mandheling e Toraja, de acordo com o Conselho de Café da Indonésia.

O boom levou capitalistas de risco a aproveitar a nova tendência. Kopi Kenangan, uma startup de cafeterias sem franquia, levantou US$ 28 milhões com a Sequoia India e Alpha JWC Ventures. A empresa planeja aumentar o número de lojas das atuais 100 para 2 mil até 2022, disse Edward Tirtanata, CEO da Kopi Kenangan.

“O setor das redes de café ainda é lucrativo na Indonésia e continuará se expandindo”, disse Jefrey Joe, cofundador e sócio-gerente da Alpha JWC.

Fonte: Bloomberg (Por Yoga Rusmana em Jacarta e Fathiya Dahrul em Jacarta, com edição de Daniela Milanese)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *